Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

CBF, Verdão e até rival lamentam falecimento de Djalma Santos

São Paulo (SP)

A noite desta terça-feira começou mais triste para o futebol brasileiro. Depois de quase um mês sofrendo com uma forte pneumonia, Djalma Santos não resistiu às complicações causadas pela doença e acabou falecendo na UTI do hospital Doutor Hélio Angotti, em Uberaba, gerando homenagens dos clubes que defendeu e da Confederação Brasileira de Futebol.

O Palmeiras, onde o lateral direito disputou 501 partidas e conquistou três títulos do Campeonato Brasileiro e outros três do Paulistão, relatou os feitos históricos do ídolo pela Primeira Academia. Além disso, o presidente Paulo Nobre lamentou o falecimento: “A comunidade palmeirense está mais triste pela perda de um dos maiores jogadores que vestiram o manto alviverde. Desejamos toda a força aos familiares neste momento difícil”.

Divulgação/Fifa
Djalma Santos foi o único brasileiro a vestir a camisa da seleção da Fifa organizada em 1963
O ex-atacante Evair, outro a fazer história no Verdão, demonstrou seu pesar no Twitter: “Meus sentimentos à família do grande Djalma Santos. Dia triste para o mundo do futebol”. Até mesmo o rival Corinthians se rendeu à lenda palmeirense e publicou homenagem no perfil oficial do clube na rede social. “Djalma Santos não jogou no Corinthians. Mas jogava tanta bola que vai deixar saudade até em nós, corintianos”, dizia a publicação.

Já a CBF ressaltou o desempenho de Djalma Santos com a camisa da Seleção Brasileira, que vestiu por 114 vezes. O lateral participou de quatro edições da Copa do Mundo -- de 1954 a 1966 --, conquistando os Mundiais de 1958 e 1962. O presidente José Maria Marin se mostrou solidário com a família do herói e relembrou os tempos em que presenciou o futebol do ala no futebol paulista.

“O futebol brasileiro perdeu um de seus ídolos. Djalma Santos era um jogador admirável, que todas as torcidas gostavam, pela categoria do seu futebol, mas também pela disciplina e lealdade. Tive o privilégio de vê-lo jogar muitas vezes. Lamento profundamente a sua morte e envio meus sentimentos a toda a sua família”, afirmou Marin.

Dadá Maravilha, que também marcou época pela Seleção Brasileira, também usou o Twitter para lamentar a morte do amigo. "Time do céu reforçado. Adeus Djama Santos. Amigo querido a quem pude dizer com todas as letras: ÍDOLO!", declarou o artilheiro histórico do Atlético-MG.

Além de Palmeiras e Seleção Brasileira, Djalma Santos defendeu as cores da Portuguesa e do Atlético-PR, que também se pronunciou sobre o falecimento: “O Atlético Paranaense presta suas condolências a todos os amigos e familiares de Djalma Santos, um dos grandes ídolos do Furacão”.

Divulgação/CAP
Atlético-PR foi o último clube da carreira do lendário Djalma Santos, o "melhor lateral direito de todos os tempos"

 

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade