Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

“Chático”, Carpegiani diz que Ponte tem obrigação de vencer o Naútico

Campinas (SP)

Chático. Esse é o apelido de Paulo Cesar Carpegiani na Ponte Preta. Ás vésperas de estrear no comando da Macaca, o novo treinador da equipe campineira mostrou porque, segundo os funcionários do clube, é uma mistura de chato com tático, e disse que o time tem a obrigação de vencer o Náutico, neste sábado, na Arena Pernambuco, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

“As minhas equipes não mudam de acordo com o adversário, seja em casa ou fora, a obrigação de ganhar é a mesma. Nem sempre se vence, mas eu prefiro sempre correr o risco de buscar a vitória. Acredito que hoje estamos preparados para buscar um resultado e temos a obrigação de ir lá e ganhar”, afirmou Carpegiani, antes de explicar o caminho para o triunfo.

“Um time que tenha pretensões tem que saber marcar pressão e empurrar o adversário para trás, mas esse estágio de compactação leva um tempo para ser atingido”, completou o treinador, que vem chamando a atenção nos treinamentos da Ponte Preta pela ênfase que dá à parte tática.

“Os jogadores não gostam desse tipo de treinamento, porque é muito paralisado e irrita. Apesar disso, é fundamental. O hábito de fazer a coisa repetidamente dá confiança e conhecimento de cada função aos jogadores. As posições têm características diferentes, e são os treinadores que dão dinâmica ao time. Estamos oferecendo condições de eles terem confiança de jogar e se posicionar corretamente”, explicou.

PontePress/Guilherme Dorigatti
Novo técnico da Ponte Preta, Paulo Cesar Carpegiani estrerá no comando da Macaca neste sábado
Contratado pela Ponte Preta durante a parada do Campeonato Brasileiro para a Copa das Confederações, Paulo Cesar Carpegiani trabalhou durante toda a intertemporada na cidade de Águas de Lindóia. Nesta semana, porém, voltou a Campinas. Prestes a dirigir o time em sua primeira partida oficial, o novo comandante alvinegro admitiu certa ansiedade.

“Quem não sente uma apreensão, um frio na barriga, pode largar. Isso faz parte do nosso organismo, mas esse sentimento não pode ser maior do que outras coisas, senão vai acabar prejudicando. Temos que ser frios e calculistas dentro de campo”, declarou.

Última colocada com três pontos e quatro derrotas em cinco jogos, a Macaca volta à disputa do Brasileirão neste sábado, às 18h30 (de Brasília), diante do Náutico, na Arena Pernambuco. Uma das fortes candidatas ao rebaixamento, a equipe campineira busca a sua segunda vitória fora de casa na competição, justamente no duelo contra o vice-lanterna do campeonato.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade