Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

'Criador' de Victor prepara nova geração de goleiros em Jundiaí

Bruno Grossi, especial para a GE.net Jundiaí (SP)

Carlão. O nome, de imediato, pode até remeter a alguém carrancudo, algo totalmente distinto do que o preparador de goleiro Carlos Lima mostra ao pisar no gramado do estádio Dr. Jayme Cintra, sua casa desde o final dos anos 1990. Foi das mãos do bem-humorado funcionário do Paulista que a cidade de Jundiaí se tornou um berço de grandes goleiros, novamente em evidência com a presença de Victor na final da Copa Libertadores da América, entre Atlético-MG e Olimpia.

“Todos atletas têm alguma coisa a corrigir, mesmo no final da carreira, mas já dava para ver o potencial que o Victor tinha para chegar onde chegou. É difícil falar que alguém vai ser de Seleção ou não, mas ele era um dos que a gente sabia que teriam uma carreira de sucesso. É um funil muito estreito, assim como na minha profissão. Talvez eu não chegue à Seleção Brasileira, mas o nível a que tenho que chegar é esse”, afirmou Carlão, que concedeu entrevista à GazetaEsportiva.net em frente a um dos gols do estádio jundiaiense.

Além do novo ídolo atleticano, Carlão iniciou a passagem pelo Galo da Japi apostando na juventude de nomes como Artur Moraes, que passou por Cruzeiro e Coritiba antes de chegar à Europa e se firmar como titular do Benfica nos dois últimos anos. Mais tarde, em 2005, o trabalho do preparador foi mais uma vez coroado com o ótimo desempenho de Rafael Bracalli na campanha do título histórico do Paulista na Copa do Brasil. Hoje, um dos heróis do time que bateu o Fluminense na grande final pertence ao Porto.

Bruno Cantini/CAM
Atuações de Victor nas quartas e na semifinal da Libertadores inspiram nova geração de goleiros do Paulista
“Tudo isso é uma satisfação pessoal muito grande, resultado de um trabalho que fiz. Uma resposta de que o trabalho foi feito de maneira correta, de que você sabe que andou pelo caminho certo”, declarou Carlão, avisando que a fábrica de goleiros do Paulista segue na ativa: “Temos o Igor, que está no sub-20 do Grêmio. Tem o Vagner no Ituano, e o Felipe no Audax, que estão próximos do nível Artur, do Victor e do Rafael, mas como são jovens ainda, a carreira é que vai dizer”.

Apesar do histórico de revelar grandes goleiros, Carlão garante que, mesmo para um arqueiro diferenciado como Victor, o talento não é o único requisito. Sem deixar de fazer piadas com o estado do gramado e com o fato de posar para a foto da reportagem com “cinco marmanjos atrás”, o preparador elogiou os jovens que defendem o time profissional do Paulista atualmente, mas deixou claro que não pode fazer nada se não contar com a colaboração dos garotos: “A nova safra é com o Vinícus, o Iago e o Léo, todos na mesma condição. Eles dependem muito deles próprios”.

É exatamente a medida certa entre a descontração e a seriedade que fazem Carlão ter a admiração dos novos goleiros do Galo. Integrante do time na última Copa São Paulo de Futebol Júnior e relacionado para partidas no Campeonato Paulista mesmo com apenas 19 anos, Vinícius não hesita para apontar o preparador e Victor como os maiores exemplos para trilhar uma carreira de sucesso debaixo das traves.

Acervo/Gazeta Press
Victor começou carreira no Paulista de Jundiaí e depois se tornou ídolo no Grêmio e no Atlético-MG
“É um satisfação muito grande trabalhar com ele. Sempre seguimos o exemplo de todos esses grandes goleiros que passaram pelo Carlão para que um dia possamos chegar aonde eles chegaram. Tentamos ouvir todos os conselhos do Carlão. Ele sabe o que precisamos melhorar. E o Victor é um exemplo. É o sonho de qualquer atleta chegar à Seleção Brasileira e estar na final da Libertadores, tendo nome gritado pela torcida ao ser protagonista em todos os jogos”, vislumbrou.

Dois anos mais novo, Iago também já integra o time profissional para a disputa da Copa Paulista. Admitindo timidez para conceder entrevista, o jundiaiense está no Tricolor há seis anos e espera seguir muito tempo no Jayme Cintra para, com a ajuda de Carlão, reescrever com as próprias palavras a história vivida por Victor.

“O Carlão é um baita profissional, não tenho como falar, ele é ‘bem’ demais”, exaltou Iago, em uma das gírias de boleiro usadas durante a conversa. “Todo o mundo sabe que a escola do Paulista é boa para goleiros. A gente tem que se inspirar, ainda mais sabendo que o Carlão foi quem criou eles. Olho o Victor e penso: ‘Será que um dia vou chegar lá? Será que vou fazer o que ele está fazendo, ajudando o clube como ele faz no Atlético-MG?’”

Criado nas categorias de base do São Paulo, Richard ainda sonha em retornar ao Morumbi, onde foi essencial na conquista da Copa São Paulo de 2010. Enquanto não recebe o convite para voltar às origens, o goleiro de 21 anos se apega ao histórico de Carlão, que já viveu situação parecida em 2004 ao trabalhar com Márcio, revelado pelo time da capital e peça importante no vice-campeonato paulista daquele ano, diante do São Caetano.

“Em todos os anos os goleiros do Paulista sempre se destacam nos campeonatos, e o grande responsável por isso é o Carlão. Posso falar um pouco, mas a história do Carlão já diz por ela mesma. Não só do Victor, mas de todos que passaram aqui como o Bracalli e o Artur, comentamos muito deles. O Carlão fala bastante, e a gente sempre procura trabalhar para conquistar nosso espaço também”, destacou Richard, o titular do time treinado por Ricardo Narusevicius.

Mas o exemplo de Victor para a nova geração tricolor de goleiros, segundo Carlão, não fica restrito às quatro linhas. Para ele, é possível que os garotos sejam tão profissionais quanto o ídolo do Galo Mineiro foi desde o começo da carreira e aproveitem a juventude com moderação: “O Victor era espetacular dentro e fora de campo. Como pessoa não tinha necessidade de reparo nenhum. Claro que, como todo jovem, saía e tinha os momentos de lazer, fazia coisas certas e erradas”.

Confiante na qualidade do pupilo, herói nas quartas de final e na semifinal -- contra Tijuana e Newell's Old Boys -- ao defender cobranças de pênalti, Carlão agora será mais um na torcida pelo Atlético-MG no confronto com o Olimpia às 21h50 (de Brasília) da próxima quarta-feira.

Gazeta Press
Vinícius, Richard, João, Léo e Iago apostam em Carlão para brilharem debaixo das traves (Foto: Bruno Grossi)

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade