Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Crias do São Paulo, Lucas e Oscar acham “triste” o momento atual

Helder Júnior São Paulo (SP)

Os meias-atacantes Lucas e Oscar recorrem ao mesmo adjetivo para definir a crise que o São Paulo enfrenta: “triste”. Estrelas de um evento de um patrocinador em comum nesta quinta-feira, na capital paulista, os jogadores revelados em Cotia deixaram de sorrir momentaneamente quando o assunto foram os problemas do clube que acaba de trocar o técnico Ney Franco por Paulo Autuori.

“É triste”, definiu Lucas, apesar de ainda acreditar na conquista da Recopa Sul-americana contra o Corinthians, que venceu o jogo de ida da decisão por 2 a 1. “Gosto muito do São Paulo, então vou torcer bastante, como sempre fiz. Estou mandando energias positivas, com muito carinho”, comentou o atleta, também com passagem pelas categorias de base corintianas.

Diferentemente de Lucas, que até hoje é idolatrado pela torcida do São Paulo, Oscar tem motivos menores para guardar carinho do ex-clube. Ele moveu uma ação judicial para deixar o Morumbi e transferir-se para o Internacional antes de chegar ao Chelsea, da Inglaterra.

“Não sou eu que me entristeço com o que está acontecendo com o São Paulo. É o futebol que fica triste, de uma forma geral. O São Paulo é um grande clube, todo o mundo sabe disso. O time tem condições de estar bem melhor do que agora”, palpitou Oscar, sem disfarçar que nutre mais carinho pelo Inter.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Oscar e Lucas participaram de evento de um patrocinador em comum na manhã desta quinta-feira
A realidade dos dois meias, no entanto, está longe do São Paulo. Os dois campeões da Copa das Confederações com a Seleção Brasileira se dizem contentes pela conquista de um espaço no futebol europeu após as distintas saídas do Morumbi que tiveram.

“O meu primeiro ano no Chelsea foi muito bom. Imaginei que conseguiria ganhar coisas importantes na Europa logo, pois fui para um grande clube. Espero que a próxima temporada seja melhor ainda. Estou surpreendendo todo o mundo e quero continuar assim”, almejou Oscar.

“Sempre há uma dificuldade no começo, pois é uma vida nova que você tem fora do Brasil. Mas eu me adaptei mais rapidamente do que imaginava, indo para um clube bom, com as pessoas me recebendo bem. Também evoluí muito taticamente. Sei que tenho muito mais a crescer ainda”, concluiu Lucas, agora no francês Paris Saint-Germain, com uma felicidade que está rara do São Paulo ultimamente.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade