Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Kardec troca árabes por centenário, estádio e ressurreição do Verdão

William Correia São Paulo (SP)

Alan Kardec recebeu do presidente Paulo Nobre, nesta segunda-feira, a camisa que optou por vestir até 30 de junho. Pouco usado no Benfica, o atacante conta que tinha opção até de ganhar um alto salário no futebol árabe, mas preferiu ser emprestado ao Verdão, seduzido pelo centenário do clube no ano que vem, a possibilidade de jogar na reestreia do Palestra Itália e, antes de tudo, tirar o time da Série B do Brasileiro.

“O Palmeiras tem uma estrutura fantástica, um centro de treinamento maravilhoso, um estádio novo que vai ficar pronto no ano que vem e em 2014 ainda tem o centenário. Quero fazer parte dessa reconstrução do Palmeiras e do ano maravilhoso de centenário”, disse o jogador, mostrando ciente da prioridade da equipe em 2013.

“Não é o lugar que o Palmeiras deve estar. Tenho ciência disso por toda história e camisa do clube. Quero fazer parte desse projeto de colocá-lo de volta na Série A”, apontou, prometendo empenho. “O Palmeiras me abriu as portas, sempre se mostrando muito disposto a contar comigo no elenco, e estou com muita vontade e esforço para, no dia a dia, recolocar o Palmeiras na Série A.”

Divulgação/Santos FC
Atacante de 24 anos disse que definiu sua opção pelo Palmeiras quando foi procurado por Nobre em março
As portas do Palmeiras foram abertas para Kardec há três meses, quando Nobre aproveitou passagem pela Europa como chefe de delegação da Seleção Brasileira para ir a Lisboa e oferecer 2 milhões de euros ao Benfica para contratá-lo em definitivo. Na época, a negociação travou porque o clube português pediu o dobro, mas o atleta já tinha escolhido seu destino.

“Quando o presidente do Benfica sentou comigo, me deu opções de outros clubes, sendo três ou mais da Série A, equipes da Europa e propostas até dos Emirados (Árabes Unidos), mas deixei claro que queria retornar ao Brasil e com a camisa do Palmeiras”, comentou.

“O Benfica tinha pedido para eu aguardar o fim da temporada europeia porque disputaríamos competições importantes. Quando encerrou, ele me deixou à vontade para negociar com o Palmeiras e não tive dúvida nenhuma que seria o meu lugar no futuro”, prosseguiu o novo camisa 14 do elenco de Gilson Kleina.

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade