Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Lusa lamenta expulsão de Souza e ‘descarta’ atuação do segundo tempo

São Paulo (SP)

O pequeno público presente no Canindé na noite deste sábado já sinalizava o momento conturbado vivido pela Portuguesa no Campeonato Brasileiro. A equipe saiu perdendo logo aos sete minutos, mas mostrou poder de reação para virar ainda no primeiro tempo. A Lusa só não contava com a polêmica expulsão de Souza aos cinco minutos da etapa complementar, que fez o Atlético-PR se atirar ao ataque e virar para 3 a 2 já nos acréscimos.

“O time estava muito bem encaixado, fizemos um bom primeiro tempo. Depois sentimos um pouco a expulsão. Ficar com um jogador a menos complica muito. Foi muito injusto esse último gol pelo tanto que nosso time lutou e correu. Agora é levantar a cabeça e tentar sair dessa situação”, lamentou o volante Bruno Henrique.

Já o técnico Edson Pimenta preferiu enxergar o sexto tropeço consecutivo na temporada com outros olhos. O treinador elogiou a atuação do primeiro tempo e embora trate a expulsão de Souza como decisiva, lembra que seus comandados também poderiam levar a virada do Furacão com o time completo em campo.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Edson Pimenta preferiu não encontrar culpados por mais um tropeço em casa e elogiou 1º tempo da Lusa
“Talvez com 11 contra 11 a gente pudesse ter perdido até de maneira vexatória, mas seria mais normal manter o 2 a 1 e até ganhar de mais. O resultado na minha forma de entender foi atípico com essa expulsão”, analisou, antes de destacar o empenho da equipe: “A Portuguesa foi briosa, lutadora, valente e suportou o Atlético-PR por 40 minutos”.

Pimenta também isentou os jogadores de culpa pelo terceiro gol, sofrido já aos 46 minutos de jogo. Para o Coronel, o time avançou para tentar buscar o terceiro gol e acabou sendo castigada. A intenção agora é tentar repetir a atuação do primeiro tempo na partida contra o Criciúma -- quarta-feira às 19h30 (de Brasília) no Canindé -- e manter a cabeça no lugar para evitar novas expulsões.

“A gente achou que poderia ganhar o jogo na bola parada, todo mundo se desesperou no ataque e acabamos levando um contra-ataque e o terceiro gol. Temos que seguir na linha do primeiro tempo, o segundo a gente descarta. Contra o Criciúma precisamos ter mais tranquilidade para não perder jogador e comprometer a equipe”, alertou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade