Futebol/Mercado - ( - Atualizado )

Ponte espera até esta 4ª para contratar Maikon Leite e Tiago Real

William Correia São Paulo (SP)

Só depende do Palmeiras definir nesta quarta-feira a saída de mais dois jogadores do ainda inchado elenco à disposição de Gilson Kleina. Dirigentes da Ponte Preta estiveram em São Paulo nesta terça-feira e esperam por uma resposta em menos de 24 horas para concluir as negociações por Maikon Leite e Tiago Real.

O gerente de futebol do clube campineiro, Ocimar Bolicenho, e o coordenador técnico Marcos Vinicius estiveram na Academia de Futebol e trocaram abraços e longa conversa com Kleina e membros da sua comissão técnica. Todos os presentes no papo aprovam a saída da dupla.

A transação mais próxima de ter um desfecho positivo para a Macaca é a de Maikon Leite. Fora dos planos do técnico, o atacante chegou a ser liberado para o Umm-Salal, do Catar, e embarcou para o Oriente Médio, mas retornou na semana passada sem ter acertado seu empréstimo e à espera de um destino para a carreira.

Ir para a Ponte Preta agrada ao jogador. Em Campinas, ele reencontraria Ocimar Bolicenho e o técnico Paulo César Carpegiani, com quem trabalhou em uma de suas melhores fases na carreira, no Atlético-PR, em 2010. Além disso, atuaria pela Série A do Campeonato Brasileiro, uma vitrine melhor para sair do Brasil.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Maikon Leite voltou do Catar sem conseguir se acertar com o Umm-Salal e aceita jogar na Ponte Preta
O que travava a negociação era o salário do camisa 7, um dos mais altos do Verdão. O Palmeiras não estava disposto a pagar nenhuma parte dos vencimentos, mas terá que ceder arcando com a maioria do dinheiro que o atacante recebe mensalmente só para ter mais chances de se desfazer dele – Maikon Leite ainda tem mais três anos de contrato.

Em relação a Tiago Real, a maior dificuldade é o próprio jogador. Embora nunca tenha sido um dos preferidos de Kleina, o meia, vinculado ao Verdão até a metade de 2016, acredita que pode ter espaço entre os titulares para recolocar o clube na primeira divisão nacional.

O treinador, contudo, precisa desinchar seu elenco, até a pedido da diretoria, e tenta convencer o armador a atuar na Macaca. O argumento é simples: Tiago Real jogaria na Série A e com mais frequência, pois Mendieta e Felipe Menezes chegaram para a sua posição, que já tinha Valdivia e Patrick Vieira e teve até o volante Wesley e o atacante Leandro improvisados.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade