Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Bastidores - ( )

Por Barcos, LDU se sente desrespeitada e aciona Palmeiras na Fifa

Bruno Ceccon e William Correia São Paulo (SP)

Titular no time do técnico Renato Gaúcho, o centroavante Hernán Barcos chegou ao Grêmio no último mês de fevereiro, mas a transferência que o levou do Palmeiras para Porto Alegre ainda é motivo de irritação para a Liga Deportiva Universitária (LDU).

Dona de 30% dos direitos econômicos do jogador, a LDU considerou irregular a negociação entre Palmeiras e Grêmio. A Gazeta Esportiva.net apurou que os equatorianos apresentaram uma demanda à Fifa sobre o assunto. Procurado pela reportagem, o clube paulista alegou ainda não ter sido notificado oficialmente e, por isso, preferiu não se posicionar em relação ao caso.

O Palmeiras possuía 70% dos direitos econômicos de Barcos e, já na gestão de Paulo Nobre, vendeu 55% ao Grêmio. Segundo os equatorianos, antes de fechar o negócio, o clube brasileiro tinha obrigação por contrato de consultar a LDU, que poderia igualar a proposta dos gaúchos e ficar com o jogador.

Na época em que negociou Barcos com o Grêmio, o Palmeiras ainda devia aos equatorianos a última parcela pela compra de 70% dos direitos econômicos do jogador, no valor de US$ 750 mil. O débito, pendente desde o último dia 20 de janeiro, já foi quitado – recentemente, de acordo com a LDU.

“Só pagaram a última parcela porque foram notificados pela Fifa”, disse Esteban Paz, responsável por gerir o futebol do clube, contrariando a versão dos brasileiros. “O que mais incomoda é a falta de respeito dos dirigentes do Palmeiras ao descumprirem um convênio legalmente firmado. Dissemos que estávamos dispostos a colaborar e discutir distintas alternativas. Como não houve resposta, fomos obrigados a entrar na Fifa”, completou.

Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Vargas e Barcos ouvem instruções do técnico Renato Gaúcho: insatisfeita, a LDU resolveu acionar o Palmeiras na Fifa
O pagamento da última parcela, no entanto, não encerra a demanda dos equatorianos na Fifa. O advogado Matias Elmo, representante do escritório sediado na Argentina a serviço da LDU, se disse impedido de fornecer maiores informações em torno da ação neste momento, mas explicou que o clube deseja ser indenizado.

“Em primeiro lugar, o Palmeiras tem que pagar a dívida de quando o jogador foi inicialmente vendido (algo já realizado). Em segundo lugar, precisa pagar pelos danos e prejuízos ocasionados pelo não cumprimento do acordo de parceria dos direitos econômicos. A demanda está tramitando na Fifa e isso é tudo que posso dizer agora”, afirmou.

Barcos deixou o Palmeiras pensando em se manter na seleção argentina para a disputa da Copa do Mundo de 2014, mas, desde então, não foi mais convocado. Após fazer sucesso em seus primeiros jogos pelo Grêmio, amargou um jejum de 70 dias (sete partidas) sem marcar gols, seca encerrada no último sábado, no empate diante do Atlético-PR, em Curitiba.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade