Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

No Morumbi, São Paulo leva dois vermelhos, virada e 'olé' do Bahia

Tossiro Neto São Paulo (SP)

O São Paulo conseguiu a façanha de ampliar sua crise nesta quarta-feira ao chegar à sexta partida seguida sem vencer, sendo cinco no Campeonato Brasileiro. Cobrada desde o início pelo público de menos de cinco mil pessoas no Morumbi, a equipe – ainda sob o comando interino de Milton Cruz – saiu à frente no marcador, mas sofreu a virada do Bahia, por 2 a 1, e terminou a partida com vaias, 'olé' e dois jogadores a menos, dadas as expulsões de Luis Fabiano (chamado de "pipoqueiro") e do estreante Clemente Rodríguez.

Na série negativa, que inclui a derrota para o Corinthians na primeira final da Recopa Sul-americana e nem leva em consideração o revés em amistoso contra o Flamengo, o time paulista tem empates com Atlético-MG e Grêmio, como visitante, e derrotas para Goiás e Santos, como mandante. O último triunfo data de 29 de maio, sobre o Vasco, em casa.

Com o resultado deste jogo, antecipado da 11ª rodada, o São Paulo segue com oito pontos, perde oportunidade de entrar no G-4 e fica em décimo. Seu próximo compromisso será no domingo, frente ao Vitória, em Salvador, ocasião em que possivelmente já terá um treinador efetivo para o lugar do demitido Ney Franco. Em terceiro, com 11 pontos, o Bahia volta a campo um dia antes, para enfrentar a Ponte Preta, em Campinas.

Revelada minutos antes de a bola rolar, a escalação do São Paulo teve novidades, principalmente pelos lados do campo. O jovem lateral direito Lucas Farias atuou pela primeira vez como titular no Morumbi, enquanto o argentino Clemente Rodríguez, recém-chegado do Boca Juniors, fez sua estreia na ala esquerda. Outra mudança de Milton Cruz foi deixar o meia Paulo Henrique Ganso na reserva para escalar Aloísio juntamente com Osvaldo e Luis Fabiano.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Milton Cruz tentou diversas alternativas, mas ficou refém das expulsões e das vaias da torcida
Quem salvou o primeiro tempo sonolento foi justamente o terceiro atacante. Sempre mais pilhado do que os demais, Aloísio abriu o placar aos 14 minutos, depois de um início até mais incisivo do Bahia. Ele ficou com bola não dominada por Luis Fabiano, na entrada da área, ajeitou de perna direita e chutou de canhota para vazar Marcelo Lomba. Na comemoração do gol (o milésimo do clube em seu estádio, na história do Brasileiro), pediu calma.

O gesto, semelhante ao que costuma fazer Cristiano Ronaldo, não tinha o mesmo orgulho individualista do astro português. Não foi exatamente uma resposta individual do atacante, mas um apelo de fato à parte da torcida que antes mesmo do apito inicial já entoava gritos de pressão. O mais vezes repetido deles cobrava vitória no clássico da semana que vem, contra o Corinthians, pela final da Recopa Sul-americana.

A vantagem no marcador, contudo, não acalmou muito os poucos são-paulinos presentes no estádio. Apesar de, depois disso, ter passado a controlar melhor o jogo, o time continou não tendo uma grande apresentação até o intervalo. A melhor chance de ampliar foi desperdiçada por Luis Fabiano, que concluiu um cruzamento rasteiro pelo lado de fora da rede.

Igualmente pouco efetivo, o Bahia só assustou Rogério Ceni em um ou outro arremate de fora da área. O mais perigoso saiu dos pés de Marquinhos, após tabela na entrada da área. O goleiro são-paulino esticou o braço e espalmou a bola rasteira para escanteio, evitando o empate, assim como já havia feito em falta cobrada da meia direita.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Luis Fabiano mais uma vez foi expulso e deixou o São Paulo em situação crítica diante do Bahia nesta quarta
O São Paulo conseguiu voltar com mais sono para o segundo tempo, o que custou o resultado. Aos 18 minutos, Anderson Talisca, completamente livre de marcação na pequena área, aproveitou cruzamento vindo da esquerda e completou para a rede. Para piorar, dois minutos tarde Luis Fabiano levou a mão à bola, recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso. Ao deixar o gramado, foi chamado de "pipoqueiro" e respondeu com aplausos.

Milton Cruz não colocou o time para trás. Ao contrário. Nas três alterações, colocou Roni, Ademilson e Silvinho. Os três atletas ofensivos ajudaram a aparentar equilíbrio nas ações, mas nada que causasse sustos. Aos 42 minutos, o estreante Clemente Rodríguez fez falta na lateral e também foi expulso pelo segundo amarelo. Na cobrança, Fahel aproveitou rebote, marcou o segundo gol e decretou a virada baiana, festejada por seus torcedores com direito a 'olé'.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade