Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( )

Técnico do Guará quer ‘apertar’ Valdivia e avisa: também tem elenco

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Desde que a Série B do Campeonato Brasileiro recomeçou após a pausa para a Copa das Confederações, Guaratinguetá e Palmeiras conseguiram espantar a má fase do início do torneio e agora buscam regularidade para embalar. E se Jorge Valdivia é o grande nome do Verdão nos últimos jogos, o técnico do Tricolor do Vale já arma a equipe para frear a ascensão do chileno.

“O Valdivia é um jogador de destaque dentro do Palmeiras e que requer atenção. Não podemos dar muito espaço para ele, pois ele pensa o jogo. Se der espaço, ele vai pensar e isso dá trabalho para qualquer equipe. É um jogador que merece cuidado especial, não pode ficar livre”, alertou Carlos Octávio, em entrevista à GazetaEsportiva.net.

O Mago retornou ao Verdão na partida contra o Oeste, a primeira depois da paralisação, e logo mostrou bom desempenho ao participar ativamente da goleada por 4 a 0. Na rodada seguinte, nos 4 a 1 sobre o ABC, atuação mais discreta, mas com movimentação e vontade. Já no último sábado, contra o Figueirense, Valdivia anotou o terceiro tento e definiu a vitória por 3 a 2.

E se o meio de campo da Garça já teria trabalho com a boa fase do chileno, o crescimento de outro palmeirense preocupa Octávio. O volante Wesley marcou o primeiro gol com a camisa alviverde contra o ABC e passou a desequilibrar as partidas, gerando mais dor de cabeça para os marcadores Juninho e Bruno Formigoni.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Segundo Kleina, o chileno Jorge Valdivia recuperou a alegria de jogar futebol e cresceu de produção
“O Wesley também pode fazer a diferença. Ele está começando a jogar o que jogou no Santos (em 2010). Demorou para se readaptar, mas já está fazendo a diferença. É um jogador de boa movimentação, chega no ataque, recompõe para fechar os espaços. Junto ao Valdivia chama atenção”, destacou o treinador.

Mas se o Palmeiras cresceu de produção, o Guaratinguetá não fica atrás. Foram duas vitórias – 3 a 0 no Icasa e 1 a 0 no São Caetano – e uma derrota para o Paysandu por 4 a 3 nos últimos três jogos. O desempenho recente deixa Carlos Octávio confiante no próprio elenco que, segundo ele, tem peças para desequilibrar ao longo da partida, como fez o palmeirense Alan Kardec diante do Figueirense.

Na ocasião, o time de Gilson Kleina jogava com dois jogadores de movimentação, Vinicius e Leandro, mas a necessidade de pressionar os catarinenses fez o treinador lançar o centroavante contratado junto ao Benfica no segundo tempo – algo que deve se repetir neste sábado às 16h20 (de Brasília). Para Octávio, o Guará não fica atrás nesse quesito e também pode usar o banco de reservas para mudar o panorama do jogo.

“Quando se tem jogadores de características diferentes, a gente tem essa situação de guardar uma peça para mudar durante a parida caso não esteja dando certo a formação inicial. Você muda o jogo com um jogador só de ter outra movimentação. Sempre tem dentro do plantel de um clube, aqui não é diferente”, avisou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade