Comercial Expediente Contato
Acompanhe a GE.net
Futebol/Recopa Sul-americana - ( - Atualizado )

Timão ouve rival e diz: lindo seria ser campeão no adeus a Paulinho

William Correia São Paulo (SP)

Vice-campeão da Libertadores do ano passado pelo Boca Juniors perdendo para o Corinthians, Clemente Rodríguez foi apresentado no São Paulo dizendo que seria “lindo” vencer o rival na final da Recopa Sul-americana. Mas o Timão já tem festa preparada no Pacaembu para o dia 17, quando haverá o jogo, com Paulinho acenando para a torcida. E o clube não está disposto a ter o festejo estragado.

Ao saber das declarações do novo lateral esquerdo do Tricolor, o diretor de futebol corintiano, Roberto de Andrade, tratou de minimizar qualquer tom de provocação da contratação do adversário. Mas sorriu ao admitir a celebração de despedida de Paulinho, que foi vendido ao Tottenham Hotspurs, da Inglaterra, mas se garantiu entre os torcedores no estádio.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Diretor quer que noite comece com aceno de Paulinho à torcida e termine com volta olímpica
A programação corintiana é começa a noite com um aceno de seu ex-camisa 8 e terminá-la dando a volta olímpica. “Qualquer título é muito bem-vindo, principalmente a Recopa, que não temos. Seria inédito, e em cima de um grande clube, em um clássico regional... Trabalhamos e muito por esse título. É o nosso objetivo principal nos próximos dias”, disse o dirigente.

Roberto de Andrade não falou da final da Libertadores do ano passado, mas alertou Clemente Rodríguez da condição do time que foi campeão mundial em dezembro e que só precisa empatar no dia 17 para ser campeão. “O título está aberto, mas do outro lado é o Corinthians. Não é um time qualquer”, definiu.

As declarações do argentino, porém, foram encaradas como normais. “Não é provocação. Ganhamos os primeiros 90 minutos, mas faltam outros 90 e não podemos subestimar o elenco do São Paulo, que tem não só o Clemente Rodríguez, que é um excelente jogador. Da mesma forma que fomos ao Morumbi e ganhamos, eles podem ganhar”, apontou Roberto de Andrade.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade