Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Verdão já detecta empolgação e não se permite pensar ainda em acesso

William Correia São Paulo (SP)

Desde a volta da Série B após a Copa das Confederações, o Palmeiras empatou um e venceu outros quatro jogos, sendo três deles por goleada. A atuação nos 4 a 0 sobre o Icasa, porém, levantou preocupações. Gilson Kleina admitiu que o time sofreu diante do time cearense no Pacaembu e Fernando Prass chegou a definir o placar como enganoso. O pedido já é por veto a qualquer empolgação.

A dificuldade no primeiro tempo é uma prova de que o líder do torneio precisa de acertos. “Muitas vezes, em um jogo em casa com posse grande, você começa a rodar e, depois de certo tempo, de tanta movimentação, começa a se empolgar, ser mais incisivo e acaba desorganizado. Precisamos ter cuidado. Um dos volantes precisa estar encaixado entre os zagueiros pensando no pior, no caso de perder a bola”, falou Fernando Prass.

O assunto ainda não foi comentado formalmente entre a comissão técnica e os atletas, mas virou assunto no bate-papo entre Prass e Henrique enquanto o zagueiro deu carona ao goleiro tanto após o jogo quanto no caminho para a Academia de Futebol nesta quarta-feira.

O discurso é de que ainda faltam 27 jogos para o fim da Série B, o que comprova a longa caminhada até o acesso. “Não podemos cometer o erro de ficar pensando lá na frente. Temos que pensar no Bragantino e ir somando os pontos necessários para subir. Até lá, é pensar jogo a jogo”, indicou Prass, já citando o duelo desta sexta-feira.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Preocupação é que jovens como Vinicius não se empolguem com goleadas e liderança
“Felizmente ganhamos bem, fazendo quatro gols de novo. Isso dá confiança e credibilidade. O mais importante é que estamos jogando bem e ganhando. Mas precisamos continuar nesse ritmo, não deixar cair porque tem muito jogo pela frente ainda”, cobrou Valdivia.

Apesar do alerta, existe o cuidado de enaltecer a campanha do Verdão. “O placar contra o Icasa foi enganoso, mas não por falta de merecimento. Se o Palmeiras criou cinco ou seis chances e fez quatro e o Icasa criou cinco ou seis chances e não fez nenhum, é mérito do Palmeiras, que aproveitou suas chances e não deixou o adversário aproveitar. Meu papel é defender, assim como o dos zagueiros e laterais é desarmar. O Palmeiras foi eficiente nos sentidos defensivo e ofensivo”, elogiou Prass.

Os mais jovens, por sua vez, falam como quem entende a prioridade aos três pontos em relação a atuações convincentes. Mas não escondem a alegria pelos placares dilatados. “Não nos preocupamos em golear, 0,5 a 0 já é de grande importância. Mas, se vier a acontecer, ficamos muito felizes”, sorriu Wesley.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade