Atletismo/Meia Maratona do Rio de Janeiro - ( - Atualizado )

Queniano fã de Paul Tergat aprova Parque do Ibirapuera para treinos

André Sender São Paulo (SP)

O queniano Geoffrey Mutai está no Brasil pela primeira vez para competir na Meia Maratona Internacional do Rio de Janeiro, no próximo domingo, mas passa os dias que antecedem a prova em São Paulo. Na maior cidade do País, ele realizou apenas um treino no Parque do Ibirapuera e aprovou o local.

Mutai chega para a Meia Maratona do Rio de Janeiro como um dos principais favoritos ao título. Ele é dono do melhor tempo da história em maratonas, 2h03min02s, obtido na Maratona de Boston de 2011. Peculiaridades do trajeto da prova, no entanto, impedem que a marca seja reconhecida como recorde mundial pela Federação Internacional de Atletismo (Iaaf).

“Gostei bastante do parque, fui um dia de manhã e é um lugar muito legal com bastante gente fazendo seus treinos”, afirmou Mutai, que deve visitar novamente o Ibirapuera para mais uma fase de preparação antes de viajar ao Rio de Janeiro, onde na manhã do próximo domingo compete na Meia Maratona.

Mesmo fora da forte equipe do Quênia no Campeonato Mundial de atletismo, Geoffrey Mutai pode ser considerado um ídolo para as novas gerações de atletas do país e semanalmente participa de longos treinos com até 70 atletas, em que corredores consagrados e jovens talentos praticam juntos os fundamentos do esporte.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
O queniano Geoffrey Mutai se inspira no sucesso obtido pelo compatriota Paul Tergat

Mas quando ele era mais jovem e ainda se desenvolvia como atleta foi justamente um corredor que fez fama nas ruas de São Paulo que o inspirava a treinar e continuar evoluindo: Paul Tergat. O queniano fez história na tradicional Corrida Internacional de São Silvestre, vencendo-a cinco vezes, em 1995, 1996, 1998, 1999 e 2000. Curiosamente, os atletas que viajam a São Paulo para competir na corrida do último dia do ano costumam utilizar o Ibirapuera para treinar.

Tergat ainda ostenta em seu currículo duas medalhas de prata na disputa da prova de 10 mil metros nos Jogos Olímpicos de Atlanta-1996 e Sydney-2000, e cinco medalhas de ouro no Campeonato Mundial de Cross-Country.

“Provavelmente a pessoa que mais me inspirou foi o Tergat, porque ele estava indo muito bem quando eu era jovem e fez algo bom pelo Quênia”, revelou Mutai. Como companheiros de treinamento, ele tem hoje os consagrados Denis Kipruto e Franklin Chepkwony, campeão da Maratona de Seul. “Eles são meus colegas, ajudava dando tênis e roupas e agora estão famosos”, recordou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade