Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Após três derrotas consecutivas, Carpegiani pede demissão na Ponte

Campinas (SP)

Após a Ponte Preta sucumbir por 2 a 0 diante do Cruzeiro, neste sábado, no Moisés Lucarelli, e sofrer sua terceira derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro, o treinador Paulo César Carpegiani pediu demissão. Em entrevista coletiva concedida logo depois do jogo, o técnico confirmou seu desligamento do clube campineiro.

“Eu escolhi justamente esse momento para fazer isso. Preciso tomar uma decisão, não sou de ter esse tipo de atitude. Entretanto, não posso correr esse risco também”, afirmou o treinador, que está com problemas de saúde.

Paulo César Carpegiani, de 64 anos, chegou ao comando da Ponte Preta em 15 de junho deste ano. Depois de ficar afastado do futebol desde outubro do último ano, quando treinou o Vitória, o técnico foi contratado pelo time paulista para substituir o demitido Guto Ferreira. No entanto, o gaúcho não conseguiu corresponder às expectativas da diretoria.

Em sua trajetória na Ponte Preta, Carpegiani esteve no banco de reservas em 13 partidas. O treinador conquistou quatro vitórias, três empates e seis derrotas. Neste período, ainda foi eliminado pelo Nacional-AM na Copa do Brasil.

“Preciso dar um passo atrás para o bem até mesmo da própria Ponte Preta. Não há dinheiro no mundo que pague isso”, encerrou o técnico gaúcho, que deve retornar ao Rio Grande do Sul nos próximos dias.

Atualmente, a Ponte Preta ocupa a 16ª colocação na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro, com 16 pontos. Além disso, o clube campineiro está disputando a Copa Sul-americana, onde mede forças com o Criciúma. Na primeira partida, vitória por 2 a 1, no estádio Heriberto Hulse. A decisão será nesta terça-feira, às 19h30 (de Brasília), no Moisés Lucarelli.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade