Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Árbitro relata “palmas irônicas” de Kleina na súmula da partida

Curitiba (PR)

Aos 45 minutos do segundo tempo da derrota contra o Atlético-PR, com o placar já em 3 a 0 para o time paranaense, o técnico Gilson Kleina foi expulso pelo árbitro Ricardo Marques Ribeiro. O juiz da partida disputada em Curitiba na noite de quarta-feira, válida pela Copa do Brasil, relatou sua versão na súmula.

Segundo Ribeiro, Kleina foi expulso por “contestar de forma veemente as decisões da arbitragem, gesticulando ostensivamente e batendo palmas de forma irônica”. Ele ainda informou que o técnico do Palmeiras já havia sido advertido pelo quarto árbitro “para que se comportasse de forma adequada”.

Ribeiro também relatou que o preparador físico Fabiano Xhá foi expulso por usar “equipamento de comunicação eletrônica”. A derrota por 3 a 0 diante do Atlético-PR custou a eliminação do Palmeiras, atual campeão, nas oitavas de final da Copa do Brasil.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
O técnico Gilson Kleina foi expulso pelo árbitro Ricardo Marques Ribeiro no final da partida disputada em Curitiba
Fora da competição nacional, única chance de alcançar uma vaga na Libertadores no ano do centenário, os palmeirenses reclamaram da arbitragem de Ribeiro. O atacante Leandro teria sofrido um pênalti e o volante Charles, uma falta no lance que originou o segundo gol do Atlético-PR.

Gilson Kleina também acabou expulso na derrota por 1 a 0 diante do Sport, pela Série B do Campeonato Brasileiro, e tomou uma partida de suspensão. Na ocasião, o técnico reclamou ao ver o time sofrer um gol irregular nos últimos instantes da partida arbitrada por Wagner Reway.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade