Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Árbitros suam a camisa em teste físico da Fifa, mas nem todos passam

Bianca Mascara, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Esta terça-feira foi de teste físico para os árbitros e assistentes da lista FIFA, além dos aspirantes. Os principais árbitros do país se reuniram no Estádio Ícaro de Castro Mello, no Ibirapuera, em São Paulo, para avaliarem o condicionamento físico necessário aos que desejam fazer parte do quadro de arbitragem do principal órgão que controla o futebol.

O teste físico é apenas uma etapa para os árbitros e assistentes, que também passarão por uma avaliação técnica e teórica. A carga é intensa com seis tiros de 40m e 24 tiros de 150m. Aqueles que não conseguem finalizar os exercícios estão automaticamente eliminados. Foram os casos de Wilson Luiz Seneme e Francisco Carlos Nascimento, que deixarão a lista da Fifa na próxima atualização, além de Guilherme Ceretta de Lima e Márcio Chagas da Silva, que não conseguiram entrar para a seleta lista. No feminino, Daniela Coutinho Pinto, que já esteve como árbitra da Fifa, também não resistiu aos tiros de 150m.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Francisco Carlos Nascimento abandonou o teste com um estiramento na coxa

Francisco Carlos Nascimento mal começou as atividades e abandonou a avaliação logo nos primeiros tiros de velocidade, em que os árbitros devem correr 40m. Ele sentiu um problema na coxa e não pode continuar os testes. “Foi a primeira vez que isso aconteceu comigo. Eu nunca tive problemas nos testes físicos. Eu venho me preparando, mas tive um estiramento”, declarou o juiz de futebol. “Agora tem que ver com os médicos”, encerrou.

O treinamento é dado pelo Programa de Assistência a Arbitragem da Fifa (RAP). O argentino Cristian Rosen foi o representante da entidade e responsável pela avaliação dos brasileiros.

O paulista Paulo Cesar de Oliveira avançou na etapa física, mas teve que suar a camisa. “Foi difícil como sempre”, resumiu. “Tem que estar bastante preparado, principalmente com o Campeonato Brasileiro em andamento. Fica apertado o treinamento, ainda mais no Brasil, que tem a extensão de um continente e estamos sempre viajando”, acrescentou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Paulo Cesar de Oliveira foi aprovado no teste físico, mesmo com pouco tempo de recuperação de uma lesão

O árbitro de São Paulo enfrentou dificuldades na preparação, mas conseguiu superar os testes. “Eu esperava esse teste mais para o final do mês ou começo de setembro. Tive que fazer um trabalho forte de recuperação durante a Copa das Confederações, porque tive uma lesão. Por isso, essa aprovação é motivo de muita felicidade”, explicou.

“Tudo que a gente faz, na parte física, técnica, teórica e na parte emocional, é para ter um bom resultado no campo de jogo. O futebol brasileiro merece”, afirmou Oliveira, que também passa por duas avaliações com a Federação Paulista de Futebol (FPF) e com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). “O preparo do árbitro é muito similar ao que os jogadores fazem”, encerrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade