Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Companheiros notam Pato “começando a entender” o Corinthians

Helder Júnior São Paulo (SP)

Alexandre Pato ganhou alguns motivos para ficar “tranquilo”, como ele gosta de dizer repetidamente. Com o concorrente Paolo Guerrero foi convocado pela seleção do Peru, o astro recebeu novas oportunidades para finalmente se firmar no Corinthians e correspondeu com uma boa atuação no triunfo sobre o Vitória. Está mais sorridente, exibindo disposição em treinamentos, e até entrevista coletiva concedeu nesta semana.

“O Pato saiu jovem do Brasil e voltou como um astro. Agora, está começando a entender que o Corinthians é diferente”, percebeu o lateral direito Edenílson, otimista com a evolução do companheiro. “Ele pode nos ajudar muito. Já tem feito isso. Só tem a crescer.”

O Corinthians “é diferente”, segundo enfatizou Edenílson, porque a sua torcida valoriza tanto (ou até mais) um empenho desmedido dentro de campo quanto a qualidade técnica refinada. “O Pato tem um estilo diferente do que aquele de que os torcedores do Corinthians gostam, mas está buscando aprimorar algumas coisas”, comentou o lateral esquerdo Fábio Santos.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Ainda em busca da titularidade, Alexandre Pato começou a aparecer mais para o técnico Tite
Também em função de seu modo de se comportar no gramado, Pato já chegou a ser hostilizado no Pacaembu – apesar de ainda despertar mais carinho do que raiva em fãs do Corinthians. “O Pato é muito novo. É óbvio que ele sente essas coisas. Antes disso, nunca deve ter sido vaiado na vida”, sorriu Fábio Santos.

Nesta quarta-feira, contra o Fluminense, no Maracanã, Alexandre Pato terá mais uma oportunidade para convencer os que ainda o criticam. “Tenho certeza de que ele será importante para a gente. Com o tempo, vai virar um grande ídolo do Corinthians, com muitos títulos”, apostou Fábio Santos.

Outros jogadores do elenco dirigido por Tite não se incomodam em ser ofuscados pelo brilho que o lateral esquerdo prevê para Pato. “Se derem todos os méritos para o Pato, vamos entender”, disse Edenílson, antes de se corrigir. “Mas o Corinthians não prioriza as individualidades. O grupo é o mais importante, e o Pato está entendendo isso.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade