Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Expulso, Wesley argumenta que uma palavra pode doer mais do que soco

William Correia São Paulo (SP)

Em meio aos três episódios de troca de agressões, Wesley foi o único jogador do Palmeiras expulso, recebendo cartão vermelho ao lado do zagueiro Fábio Sanches, do Paysandu, após trocar socos com jogadores adversários. Na saída do Pacaembu, logo após a virada sobre o Paysandu, o volante avisou que é possível machucar mais falando do que usando as mãos.

“Às vezes, a palavra atinge mais do que um soco. Ali tem algumas coisas que as pessoas falam que não tem como perdoar na hora”, disse o camisa 11 do Verdão, que, após ser expulso, continuou discutindo com jogadores adversários.

Minutos mais tarde, depois de tomar banho para dar entrevistas, o meio-campista estava mais conformado, mas sem revelar o que ouviu em campo. “Foi de jogo, paciência. Futebol não é isso, mas, já que aconteceu, serve de aprendizado e tomara que não aconteça mais”, comentou.

A cabeça mais fria, porém, não tinha recordações do que ocorreu na confusão, quando Wesley levou falta dura de Vanderson antes de as discussões virarem agressões. “Foi um lance complicado. Recebi uma falta que deveria ser para cartão vermelho, mas, até então, o árbitro deu amarelo. Depois aconteceu a confusão, e agora não me lembro direito como foi”, argumentou.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Titular do Palmeiras, o volante Wesley despertou o interesse do Atlético-MG, que tenta sua contratação
Mendieta, que estava no meio da troca de socos, a primeira da partida, também não soube dar detalhes. “Fui buscar a bola e, então, vi que estavam todos brigando. Lamentavelmente perdemos o Wesley, que é um jogador importante, mas temos companheiros que podem substitui-lo”, falou o paraguaio.

Um dos líderes do elenco, Wesley admite a influência da má atuação do time nas ações violentas. “As coisas não estavam dando certo e tomamos um gol... O emocional vai lá em cima, e temos que procurar tranquilidade. É um pouco mais complicado”, comentou o volante. “Mas serve de aprendizado. Tomara que não aconteça mais. Independentemente de qualquer coisa, a equipe conseguiu mais uma vez virar o placar e somamos mais pontos em casa”, comemorou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade