Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Kleina aponta que faltou "chama" e espirito de decisão ao Palmeiras

Curitiba (PR)

A apatia que o presidente Paulo Nobre apontou na derrota por 3 a 0 para o Atlético-PR foi, na visão de Gilson Kleina, um time sem chama. A eliminação na Copa do Brasil ocorreu, de acordo com o técnico do Palmeiras, porque a equipe não assimilou o espírito necessário em uma competição de mata-mata.

“Faltou chama. Faltou estar mais inflamado e ligado, brigar, competir, entender que em jogo de decisão você tem que correr palmo a palmo”, indicou o treinador, concordando com Paulo Nobre de que não foi visto em Curitiba o Verdão “sangue na veia” que agradou à torcida na Libertadores.

“Não fizemos a identidade que mostramos. Em um momento de decisão, temos que estar mais inflamados, saber jogar uma eliminatória. Falamos sobre isso e tivemos a vivência disso na Libertadores, mas as coisas não aconteceram”, lamentou Kleina.

As declarações do técnico e do presidente serão discutidas em reunião com os jogadores nesta quinta-feira. “Temos que fazer uma leitura porque não é essa a equipe que vem jogando. Não é assim que conseguimos uma sequência de vitórias e de invencibilidade. As coisas não encaixaram, e precisamos tirar uma lição de tudo isso”, falou o treinador.

A dificuldade, agora, é lidar com o sentimento de frustração após a vergonhosa atuação no Paraná até voltar a São Paulo, na tarde desta quinta-feira. “Saímos daqui com um sentimento muito ruim. Vamos nos cobrar e levantar a cabeça, porque não jogávamos dessa forma. Normalmente competimos e marcamos forte, mas hoje viemos com apatia e fomos desclassificados”, reforçou Kleina.

Divulgação/Site Oficial
Atlético-PR se aproveitou da falta de espírito palmeirense e fez 3 a 0 (Crédito da foto: Gustavo Oliveira / Site Oficial)

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade