Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Pato "perde" gol para Paulo André e pede: "Aceito jogar mais"

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Nem o árbitro Alício Pena Júnior sabia, na saída do gramado, o autor do segundo gol do Corinthians na vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio. Apesar dos pedidos de Alexandre Pato, que empurrou a bola aparentemente um pouco à frente da linha, o tento acabou sendo registrado no nome de Paulo André, que desviou de cabeça escanteio da esquerda.

Antes que o assistente mais próximo do lance acabasse com a dúvida de Alício, o atacante chegou a comemorar o gol. “Se deu para mim, foi bom. Vi que a bola não estava entrando e tentei roubar do Paulo André. É bom. Estou jogando pouco, então é bom aproveitar. Consegui”, afirmou.

Na noite de quarta, Pato substituiu o centroavante Paolo Guerrero, que fez mais uma boa partida, aos 25 minutos do segundo tempo. Brigou com Paulo André por um gol e perdeu outro, na cara de Dida. Ele espera um tempo maior. “Se der para jogar um pouco mais, eu aceito.”

A vontade do camisa 7 era tão grande que Paulo André até se dispôs, sem grande firmeza, a ceder o gol para o colega. “Para quebrar o feitiço da frente, é bom que seja um gol do Sheik e outro do Pato. Acho que a bola já tinha entrado, mas é o juiz que manda”, disse o beque.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Pato e Paulo André comemoraram, mas o zagueiro foi apontado como o autor do gol
Tenha ou não entrado a bola antes da desastrada conclusão do atacante, o Corinthians desta vez criou mais e aproveitou algumas dessas chances criadas. Em suas três partidas anteriores no Campeonato Brasileiro, a equipe havia balançado a rede em só uma oportunidade.

“Gol do Corinthians”
Tite, é claro, não gostou de mais um pedido de Pato por mais tempo em campo --- algo que o atacante já havia feito após a decisão do Campeonato Paulista. E disse que o jogador, “assim como os outros todos, terá oportunidade dentro daquilo que o técnico entender, dentro da hierarquia”.

Questionado sobre o autor do gol, o gaúcho adorou a pergunta. “Gol do Corinthians”, resumiu, concluindo o raciocínio após uma longa pausa. “Foram 20 pernas e duas mãos que construíram o lance. É fruto de quem fez o trabalho sujo lá atrás, do cérebro para conseguir o escanteio, de todo o mundo.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade