Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Renato Abreu minimiza idade e espera jogar em duas semanas

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Novo reforço do Santos, o meia Renato Abreu foi apresentado na tarde desta quinta-feira, no CT Rei Pelé. Com 35 anos de idade, o meio-campista minimizou a questão e destacou que se sente com fôlego de sobra para jogar futebol em alto nível, durante mais um bom período.

“Tenho 35 anos, mas estou correndo como se tivesse 28. Claro que, no futebol brasileiro, a idade é sempre questionada, mas já se provou que não tem nada a ver. Em vários times, nós estamos vendo jogadores acima dos 35 anos fazendo a diferença e contribuindo decisivamente para os resultados positivos de suas equipes. Tenho 35, mas com espírito de moleque, pois procuro sempre brincar com o pessoal. Vou buscar ajudar o Claudinei (Oliveira, técnico interino) da melhor maneira possível”, disse Renato Abreu.

Com contrato até o final deste ano, o experiente meio-campista ainda não sabe quando irá fazer a sua estreia com a camisa do Peixe. No entanto, Renato Abreu espera perder os 2,5 kg que ganhou durante o período de inatividade, após se desligar do Flamengo, em até duas semanas, para ficar à disposição da comissão técnica santista.

Ricardo Saibun/Santos FC
Meia Renato Abreu recebeu, das mãos do gerente de futebol, Zinho, a camisa 11 do Santos
“A gente vai procurar, a cada dia, a cada treinamento, entrar em forma para trabalhar junto com o pessoal. Dá muita saudade de estar no campo, de chuteira, mas preciso trabalhar a parte física e perder os quilos que ganhei nesses dois meses parado. Acredito que volto em uma semana e meia ou duas semanas”, comentou.

O meia, que fez o seu primeiro treinamento nesta quinta, também falou sobre a sua versatilidade em campo, podendo atuar também como segundo volante ou lateral esquerdo. “Chego ao Santos jogando da mesma forma que vinha atuando, com as mesmas características. Onde vou ser aproveitado depende muito do treinador. Vou brigar pela posição, mas sei que tem jogadores na minha frente, no momento. Sou versátil, posso jogar na lateral e no meio, como segundo volante ou primeiro meia. Mas, o importante agora é trabalhar no dia a dia para ficar à disposição do técnico e, quando surgir a chance, ajudar da melhor forma ao grupo”, finalizou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade