Futebol - ( )

Saída do lesionado Guilherme exige novo ajuste tático do Corinthians

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Entre um jogo bom e um mais ou menos do Corinthians, Tite insiste em palavras como “retomada” e “reconstrução”. A saída recente de Paulinho, que exigiu ajustes táticos, é um dos motivos. Uma vez que seu substituto --- o passador Guilherme --- não tem a mesma capacidade de infiltração pela direita, o passador lateral Alessandro foi trocado pelo infiltrador Edenílson.

Agora, Guilherme está machucado e vai ficar fora por cerca de dois meses. Ibson é o nome da vez, e um novo ajuste é necessário. O jogador fluminense não tem o mesmo poder de marcação de Guilherme e carrega mais a bola do que o camisa 19, em um estilo mais próximo ao de Paulinho.

O bom desempenho de Edenílson --- exceção feita à atuação desastrosa contra o Santos, reconhecida pelo próprio atleta --- deve impedir a sua saída. Mas será necessária uma atenção maior do lado direito, algo que reforça a importância de Romarinho, marcador disciplinado do lateral esquerdo adversário.

Divulgação/Agência Corinthians
Ibson carrega mais a bola e não tem a mesma qualidade de Guilherme no passe (foto: Daniel Augusto Jr.)
Os acertos começarão a ser testados no domingo, na partida do Corinthians contra o Coritiba no Pacaembu. Ainda há uma indefinição em relação aos prováveis retornos de Danilo e Paolo Guerrero, que poderão colocar Renato Augusto e Alexandre Pato no banco de reservas novamente.

Seja como for, Tite não parece disposto a abrir mão da consistência defensiva. Se há jogos --- como o empate sem gols com o Fluminense --- nos quais o Timão cria muito pouco, o sistema de marcação oferece poucas oportunidades ao rival e é, de longe, o menos vazado do Brasileiro, com seis gols sofridos em 13 rodadas.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade