Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Sheik usa calendário estrangeiro para explicar boa forma aos 34 anos

São Paulo (SP)

Zé Roberto, Alex e Juninho Pernambucano são alguns dos exemplos de uma de uma das marcas desta Série A do Campeonato Brasileiro: os veteranos vêm apresentando um desempenho acima da média, levando seus respectivos times para o topo da tabela. No Corinthians, a situação não é diferente. A experiente equipe comandada por Tite mostra maturidade na competição e, a cada rodada, vai se aproximando do topo. No plantel alvinegro, um atacante de 34 anos aparece como destaque: Emerson Sheik.

O jogador não ganhou o apelido por acaso, se tornou ídolo no futebol árabe, onde atuou por cinco temporadas. Ainda no exterior, o atual jogador do Corinthians também jogou no Japão e na França. Depois de deixar o Brasil em 1999, Emerson Sheik retornou ao país apenas dez anos depois, o que, segundo o atacante, foi fundamental para a sua atual condição física.

“Eu fiquei bastante tempo fora e o calendário lá é diferente, poupa mais o atleta. É um jogo por semana, treina um pouquinho menos, acho que isso ajuda”, explicou o atacante do Corinthians, em entrevista ao programa Bem Amigos, do canal Sportv.

A crítica de Emerson Seik em relação ao atual calendário brasileiro é bastante comum entre os jogadores e treinadores dos clubes da Série A. Os dois jogos na semana e os treinos em diferentes períodos incomodam os atletas, que acabam se lesionando frequentemente por causa do desgaste físico acumulado.

No Corinthians, o treinador Tite não perde oportunidades de criticar o alto número de compromissos que sua equipe tem ao longo da temporada. No primeiro semestre de 2013, o meia Renato Augusto, acostumado com as datas do futebol europeu, ficou afastado dos gramados por três meses após uma contusão na coxa direita.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade