Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Tite se incomoda com expectativa criada e pede calma à torcida

Helder Júnior São Paulo (SP)

Tite continua incomodado com as críticas feitas ao Corinthians. Para o treinador, o grau de exigência em relação ao rendimento da sua equipe, que alcançou a quarta colocação do Campeonato Brasileiro ao sofrer para vencer o Coritiba por 1 a 0, ficou exagerado após as conquistas da Copa Libertadores da América e do Mundial de Clubes de 2012.

“Sabem o que aconteceu? Criaram uma mentalidade de que o Corinthians ganha na hora em que quiser. Os títulos nos deram uma expectativa extremamente alta”, notou Tite, contestando quem minimizou o triunfo diante do Coritiba, conquistado com um pênalti duvidoso convertido por Guerrero aos 45 minutos do segundo tempo. “Gol no finalzinho é gol.”

Apesar de valorizar a fase atual do Corinthians, Tite precisou se dirigir diretamente à torcida para garantir que a sua equipe evoluirá na sequência da temporada. “Para o torcedor corintiano, peço calma. Deem tempo para a gente se consolidar e crescer, pois o time sempre chega forte nos momentos decisivos. Vamos apoiar, e não vaiar, porque teremos uma equipe forte de novo na hora decisiva”, garantiu.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Ídolo das crianças, Tite quer que os adultos sejam mais compreensivos com a sua equipe
O treinador se referiu a quem hostilizou, por exemplo, o atacante Alexandre Pato no instante da substituição por Guerrero diante do Coritiba. Mas não era só o público do Pacaembu que estava impaciente no domingo. “O nosso time também precisa de calma. O nível de concentração deve estar lá em cima sempre. Se o atleta ou o árbitro erra, é preciso esquecer. Com um movimento mal executado, você toma o gol. Devemos melhorar nesse quesito”, conscientizou-se.

De qualquer forma, Tite é compreensivo com as dificuldades do Corinthians – ao contrário da crítica. “Ninguém observa que uma equipe às vezes precisa se reajustar, se reconstruir. Foi a primeira partida do Ibson desde que virou titular, a volta do Guerrero da seleção do Peru, o Pato está reiniciando uma sequência, o Renato Augusto pediu para sair...”, enumerou o técnico.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade