Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Zinho valoriza chance no Santos e esquece polêmicas no Flamengo

Do correspondente Rodrigo Martins Santos (SP)

Apresentado como novo gerente de futebol do Santos, Zinho falou sobre a sua experiência em cargos extra-campo. Com passagens pelo Miami (Estados Unidos), Nova Iguaçu - onde é sócio-fundador do time carioca - e Flamengo, o profissional falou sobre o seu trabalho no Rubro-Negro. Em um período conturbado no time carioca, Zinho teve que lidar com situações polêmicas dentro do elenco flamenguista, mas preferiu não se alongar muito ao falar sobre o seu último trabalho, antes de acertar com o Peixe.

“O Flamengo já passou, fez parte de um período da minha vida e foi uma grande oportunidade. Sou grato pela chance, que foi boa para o engrandecimento da minha carreira. Com certeza tive erros e acertos, mas foi bom para o meu currículo e para que, no futuro, eu possa não repetir erros que tive. Foi um aprendizado. Agora, o meu momento é o Santos e espero desenvolver o meu trabalho, ajudando para que tenhamos o melhor ambiente possível, com harmonia e alegria, dando todo suporte aos atletas e a comissão técnica”, afirmou.

No Flamengo, durante os sete meses de sua passagem como gerente de futebol rubro-negro, Zinho teve que administrar problemas internos, como os que ocorreram com Ronaldinho Gaúcho e Adriano Imperador.

“Não sei se a palavra certa para esse tipo de situação era crise. Acho que, dentro do que cabia a mim, foi feito o possível. Como falei, não vou voltar atrás, pois posso ter agradado alguns, desagradado a outros. Isso é algo normal do futebol. O importante é que tenho a consciência tranquila e não me arrependo de nenhuma atitude nesses casos. Porém, como disse antes, isso é passado“, ponderou Zinho.

Na Vila Belmiro, o dirigente terá como missão ser o elo entre a comissão técnica, os jogadores e o Comitê de Gestão. Além disso, Zinho irá garimpar opções no mercado, para reforçar o elenco alvinegro, visando o restante do Campeonato Brasileiro.

“Fui contratado para ser o elo entre a comissão e a diretoria. Vamos tentar o mais rápido possível colocar o Santos no caminho das vitórias. Vou tentar conhecer o elenco rapidamente, alguns já jogaram comigo (o zagueiro e capitão Edu Dracena, no Cruzeiro, em 2003). Gosto muito de conhecer os atletas da base também e, por isso, ficarei no clube o maior tempo possível. Minha função é escolher o elenco, o melhor para o Santos e, em conjunto, agilizar para trazer o que é necessário para o Santos”, concluiu o novo gerente do Santos.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade