Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Aloísio perdoa Ceni e diz não ter deixado Luis Fabiano bater

Tossiro Neto São Paulo (SP)

Assim que sofreu o pênalti nesta quinta-feira, na derrota por 2 a 1 para o Criciúma, Aloísio agarrou a bola e foi para a cobrança. Mas quem bateu - e errou - foi o goleiro Rogério Ceni, após permissão do técnico Paulo Autuori. Apesar de ter sido substituído pelo capitão, o atacante não criou polêmica.

"Ele treina, eu também. Fazer o quê? Pênalti só bate quem erra (sic)", disse. "Não (tinha definição de quem bateria), não. A gente treina, não conversou".

Ceni havia perdido a condição de cobrador oficial depois de ter desperdiçado duas penalidades seguidas, contra Bayern de Munique (em 31 de julho) e Portuguesa (em 11 de agosto). Mas Jadson, no pênalti seguinte (contra o Flamengo, no dia 18), também falhou.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Sete minutos depois de ver Ceni errar o pênalti, centroavante balançou a rede e diminiu a diferença
Como nesta quinta-feira o meia já havia sido substituído no momento em que foi marcada a infração, ficou a indecisão de quem bateria. Segundo Aloísio, Luis Fabiano - que desistiu de cobrar pênalti no ano passado após erros consecutivos - também se prontificou e pediu a bola.

"Ele pediu, eu falei 'não, deixa que eu bato'", revelou o centroavante, ao reforçar que não vê problema caso Ceni queira continuar como cobrador. "Se o Rogério tiver que bater a próxima, se quiser bater, não tem problema nenhum".

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade