Futebol/Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Antes de "decisão" com Cruzeiro, Botafogo trabalha para reduzir pressão

Gazeta Press Rio de Janeiro (RJ)

A imprensa e os torcedores já decidiram. O duelo entre Cruzeiro e Botafogo, nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), no Mineirão, em Belo Horizonte (MG), é a final antecipada do Campeonato Brasileiro. Apesar de a competição estar chegando na sua 22ª rodada, a Raposa lidera com 46 pontos, quatro a mais que o Alvinegro. Já existe uma distância considerável para o terceiro colocado, o Grêmio, que soma 37 pontos.

O cenário descrito acima parece incomodar bastante os botafoguenses, que estão trabalhando no sentido de reduzir a pressão que já estão sofrendo pela necessidade de um resultado positivo. Por isso, no discurso, a ordem é minimizar o duelo em termos de caráter decisivo.

"Nós sabemos que vai ser um jogo muito complicado, mas ainda não é uma final. Porém, estamos encarando como uma grande oportunidade de reduzirmos essa diferença para o Cruzeiro. A gente está com fome, mas respeitamos todo mundo, porque é um campeonato difícil. São quatro vitórias (consecutivas). Vamos procurar essa vitória contra o Cruzeiro, o que será muito complicado", disse o meia holandês Seedorf.

Divulgação/Botafogo F. R.
Elenco botafoguense busca reduzir a pressão e responsabilidade do confronto ante o Cruzeiro

O zagueiro Bolívar também evitou falar em "final antecipada". "Nós sabemos que a partida vai ser muito complicada. O Cruzeiro possui um grande time, está embalado e é muito forte atuando no Rio de Janeiro. Vamos nos preparar para um jogo decisivo, não uma final antecipada porque ninguém vai ser campeão com qualquer resultado que venha a acontecer. Mas é uma partida muito importante, pois vale três pontos contra um concorrente direto. Ganhando, vamos levar três pontos para casa e ainda impedir que um rival direto possa somar três pontos em seu estádio", afirmou.

Os jogadores entendem que não se trata de uma final, pelo menos a maioria do elenco. Mas ninguém parece mais preocupado em tirar o peso das costas de seu elenco do que o técnico Oswaldo de Oliveira. "Acho que se pode jogar com a palavra final para se pensar em atrair o torcedor, em fazer uma manchete. Mas todos nós sabemos que essa partida não é uma final antecipada, porque ainda faltam dezessete partidas para cada time no Campeonato Brasileiro e qualquer resultado que venha a acontecer é reversível", ressaltou o treinador.

A definição da equipe que vai a campo acontecerá no treino desta terça-feira à tarde, previsto para o Engenhão. Neste duelo Oswaldo de Oliveira não poderá contar com o zagueiro Dória, que foi advertido com o terceiro cartão amarelo na vitória de 2 a 1 sobre o Santos e terá que cumprir suspensão. Assim, André Bahia ganha uma oportunidade de formar dupla com Bolívar. O reforço fica por conta do meia uruguaio Lodeiro, que estava suspenso diante do Peixe e reaparece, provavelmente na vaga de Hyuri. Após o treino a delegação embarca para a capital mineira.

Fora de campo a diretoria já se movimenta para pagar R$ 900 mil ao Audax-RJ e adquirir sessenta por cento dos direitos federativos do meia Hyuri, que está emprestado ao clube até 2015. O Glorioso tem prioridade nesta compra e o jogador vem se destacando em campo, chamando a atenção de empresários.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade