Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Apesar de má fase, Duílio confia em vaga corintiana na Libertadores

Bruno Oliveira, especial para a GE.NET São Paulo (SP)

Em busca de uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores da América, o Corinthians ocupa quinta colocação na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro e está garantido nas quartas de final da Copa do Brasil. E, apesar de o clube alvinegro disputar as duas competições simultaneamente neste segundo semestre, o diretor-adjunto Duílio Monteiro Alves descartou priorizar o título do torneio mata-mata.

“De forma alguma (priorizar). O Corinthians tem todas as condições de chegar entre os quatro primeiros colocados no Brasileiro. O troféu está difiícil, mas já vimos muitas coisas no futebol. Na Copa do Brasil estamos nas quartas de final e também podemos lutar pelo título”, afirmou o dirigente.

Sem vencer há três partidas (duas derrotas e um empate), o Corinthians ocupa a quinta posição no Brasileiro, com 30 pontos, está 13 pontos atrás do líder, Cruzeiro, e tem cinco pontos de desvantagem em relação ao Atlético-PR, último clube que estaria classificado para Libertadores de 2014. Neste domingo, às 16 horas (de Brasília), o time alvinegro mede forças com Goiás, no Pacaembu, em partida válida pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Na Copa do Brasil, por sua vez, a equipe paulista entrou direto nas oitavas de final por causa de participação na Libertadores e eliminou o Luverdense, do Mato Grosso. Nas quartas de final, o Corinthians enfrenta o Grêmio, que foi responsável pela queda do Santos. A primeira partida ocorre em 25 de setembro, às 21h50 (de Brasília), no Pacaembu, enquanto a decisão será em 23 de outubro, no mesmo horário, na Arena do Grêmio.

“Já vimos muitas coisas no futebol. Existem outros 19 clubes que trabalham muito e montaram elencos com o mesmo objetivo que nós. Não dá para desistirmos ou pensarmos que acabou. Fizemos um ótimo primeiro semestre, mas infelizmente não estamos repetindo grandes jogos. Confiamos no baita elenco e treinador que temos. Podemos reverter isso”, encerrou Duílio Monteiro Alves.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade