Futebol/Brasileiro Série A - ( - Atualizado )

Após polêmica, Marcelo Oliveira cita lealdade e promete cobrança a Willian

Belo Horizonte (MG)

Cruzeiro e Vasco protagonizaram uma das melhores partidas do Campeonato Brasileiro, neste domingo, no Mineirão, mas terão que lidar com uma polêmica até que o jogo seja esquecido. No lance que originou o quarto gol celeste, o atacante Willian teria faltado com fair-play e sido desleal, transformando-se, assim, no vilão da derrota vascaína por 5 a 3.

O lance aconteceu aos 22 minutos do segundo tempo, quando o placar mostrava 3 a 3. O jogo havia sido paralisado no campo de ataque do Cruzeiro para atendimento a um jogador do Vasco. O atacante Willian logo se prontificou para devolver a bola aos cariocas, mas tocou fraco para o lateral Fagner e correu em sua direção para tentar a roubada. O defensor, pressionado pelo atleta celeste, perdeu a posse de bola e viu o seu time sofrer o quarto gol, anotado por Lucas Silva que praticamente definiu a vitória dos mandantes.

Após o jogo, o meia Juninho Pernambucano e o técnico Dorival Júnior detonaram o atleta cruzeirense, chamando-o de “malandro e sacana”. Para o comandante do Cruzeiro, Marcelo Oliveira, porém, o lance tem de ser revisto e, caso Willian tenha sido desleal, certamente será cobrado nos vestiários do líder do Brasileirão.

"Esse lance eu fiquei sabendo só depois da confusão, mas não vi o que aconteceu. Vou avaliar melhor depois. Mas o Willian, se fez isso, tem que ser cobrado. Eu gosto de ver as coisas certas, marcando muito dentro de campo, mas com lealdade, e mostrando isso nas atitudes também”, disse Oliveira, antes de completar: “E alguém me disse no vestiário que foi pênalti no Alisson”.

Washington Alves/Vipcomm/Divulgação
Marcelo Oliveira prometeu rever o lance polêmico e, se necessário, fazer cobranças a Willian

Outro jogador que também receberá um “puxão de orelha” do técnico cruzeirense é o atacante Dagoberto. Retornando ao time no jogo deste domingo, ele, que entrou na partida no segundo tempo, foi expulso aos 45 minutos após acertar um pontapé em Abuda. Para a sorte celeste, o jogo já estava decidido, e o Vasco não levou mais perigo à meta de Fábio.

“É aquele tipo de atitude desnecessária, vamos cobrar isso dele. No jogo não faria tanta diferença, mas mais pra frente podemos perder o jogador. O Brasileiro é dificílimo, o Botafogo sofreu hoje contra o São Paulo, a Portuguesa ontem já estava ganhando de 3 a 0 no começo. Não dá para vacilar, tem que trabalhar a mobilização dos atletas. Um descuido sai muito caro”, decretou.

Apesar das polêmicas, o Cruzeiro manteve sua invencibilidade no novo Mineirão e abriu ainda mais vantagem na liderança do Campeonato Brasileiro. Agora, a distância para o seundo colocado, Grêmio, é de três pontos. Na próxima rodada, o time mineiro tenta manter o bom momento diante do Bahia, quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), na Arena Fonte Nova, em Salvador.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade