Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Após quinta virada, Kleina proíbe zona de conforto e pede equilíbrio

Florianopolis (SC)

Pela quinta vez, o Palmeiras venceu nesta Série B do Brasileiro após sair atrás no placar. Logicamente, Gilson Kleina comemorou o 4 a 2 sobre o Avaí, na Ressacada, mas, a 14 pontos do acesso de acordo com a comissão técnica, faz novo discurso contra o que chama de “zona de conforto”, cobrando mais equilíbrio em campo para não ter que reagir após levar gol.

“Temos um poder de reação forte, mas saímos atrás após um chutão do Wesley. Temos que corrigir essa saída de bola e entrar sempre ligados para não só correr atrás, mas administrar o resultado”, disse o técnico, citando o erro na saída de bola do volante eu teve ainda botes errados de Márcio Araújo e Vilson antes de Márcio Diogo fazer 1 a 0.

Como contra o América-MG, embora de forma mais contida, o Verdão foi demais ao ataque. “Ficamos mais expostos no primeiro tempo porque aceleramos muito as jogadas e o Avaí estava um pouquinho melhor posicionado, elevando a dificuldade. Mesmo quando nos posicionamos melhor, saímos duas vezes atrás, uma delas em jogada individual do Avaí”, analisou Kleina.

A jogada individual foi de Luciano, que entrou quando o técnico do time catarinense trocou sua dupla de ataque, abrindo mão de uma referência na área. Quando os anfitriões na Ressacada fizeram 2 a 1, Kleina chamou Caio para entrar no lugar de Wendel e deslocar Wesley para a lateral direita, mas, ao ver Mendieta empatar, desistiu de colocar o centroavante para preencher mais o meio-campo trocando o paraguaio por Charles.

“Ficamos mais fortes no meio e fizemos a virada”, disse o técnico. “Quando tivemos a bola no chão, tiramos o nosso ímpeto e controlamos mais o jogo. Tivemos condição de finalizar e jogar pelos lados, mas optamos por mais posse sem produzir. Precisamos verticalizar mais o passe”, cobrou.

Com o ímpeto controlado, porém, mais objetivo, a exigência é por respeito a todos os adversários, independentemente dos 15 pontos de distância na tabela para o quinto colocado, primeiro clube fora da zona de acesso. “Sempre pregamos para ninguém entrar na zona de conforto. Podemos ser líderes, mas sem o número de acesso. Então temos que nos mobilizar”, apontou.

Apesar dos erros apontados, os jogadores, mais uma vez, receberam aplausos do chefe. “A vitória foi com méritos, nossa equipe jogou para isso, para frente. Competimos em um jogo difícil, até porque todos os adversários se mobilizam contra o Palmeiras. Todos estão de parabéns por esse resultado muito importante”, comemorou Kleina.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade