Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Arrasador na área, Cruzeiro lidera primeiro turno ruim para paulistas

Lucas Besseler, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

O primeiro turno do Campeonato Brasileiro chegou ao fim para 15 equipes neste final de semana com um líder arrasador e eficiente dentro da área e os times paulistas longe de seus objetivos iniciais. Além disso, a primeira metade da competição foi marcada pelos clubes paranaenses, antes considerados azarões e agora candidatos reais a uma vaga na Libertadores.

Após 19 rodadas, o Cruzeiro lidera com 40 pontos – quatro a mais que o segundo colocado Botafogo. Comandada por Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e companhia, a Raposa é a melhor em quase todos os critérios do nacional. Além dos 70,2% de aproveitamento, o time é o que mais venceu (12 vitórias) e o que mais vezes foi às redes (42 gols).

O que impressiona no forte ataque celeste é a diversidade de marcadores. Ao todo, 17 jogadores diferentes deixaram sua marca, sendo os principais Ricardo Goulart (6), Luan e Vinícius Araújo (ambos com 5) – todos reservas no atual esquema do técnico Marcelo Oliveira.

Na hora de armar as jogadas, no entanto, o time mineiro tem repetido a dose: 28 dos 42 gols foram marcados com o pé, dentro da área. Fora dela, foram apenas três – sendo dois em cobranças de faltas. O time ainda marcou nove vezes de cabeça e duas de pênalti.

Divulgação/Vipcomm
Cruzeiro tem o ataque mais potente do país, mas não varia na hora de mandar a bola para a rede
Paulistas decepcionam e ficam longe de objetivos

Se o Cruzeiro faz uma campanha contundente, o mesmo não se pode dizer dos clubes de São Paulo. O melhor paulista na tabela de classificação é o Corinthians, atual sexto colocado com 30 pontos, quatro abaixo da zona de classificação para a Libertadores.

Apesar da proximidade do G-4, a campanha do Timão desagrada sua torcida. Isso porque o time é o que mais empatou na competição. Em 19 partidas, o Corinthians deixou o gramado com um ponto em nove – assim como o Internacional, que tem um jogo a menos e os mesmos 30 pontos na classificação. O Colorado, por sinal, é a equipe com menos derrotas no nacional: apenas Bahia e Náutico conseguiram vencê-lo.

Ao menos, a Fiel sabe que pode confiar em sua defesa. Ao todo, o Corinthians foi vazado apenas oito vezes no Brasileiro (igualando, por enquanto, o recorde, em média, que pertence ao São Paulo de 2007). Em casa, foram apenas duas. Dos oito gols, nenhum veio pelo alto: foram seis sofridos com o pé, dentro da área, um de pênalti e outro em cobrança de falta.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Defesa do Corinthians não preocupa, mas ataque deixa a desejar
Já o Santos foi prejudicado por início ruim e é apenas o nono colocado, com 25 pontos. Sem a mesma força de quando contava com o craque Neymar, o Peixe passou boa parte da competição na parte de baixo da tabela – chegando a entrar na zona de rebaixamento, na quarta rodada.

A chegada de reforços como Thiago Ribeiro e Everton Costa e o bom desempenho dos atletas da base promovidos por Claudinei Oliveira, no entanto, deram novo gás ao time. Nas últimas oito partidas, o Alvinegro Praiano perdeu apenas uma, venceu três e empatou quatro.

O posto de principal decepção do campeonato, no entanto, fica com o São Paulo. Após bom início, chegando a liderar na segunda e terceira rodadas, o Tricolor integra a zona de rebaixamento há 11 partidas.

Além disso, o time amarga crise fora das quatro linhas. Brigas entre situação e oposição, conflitos entre dirigentes da atual diretoria, afastamento do zagueiro Lúcio, demissão do técnico Ney Franco e troca de farpas entre ele e jogadores como Fabrício e Rogério Ceni marcaram o período. Irritada, a parte da torcida organizou protestos antes de partidas no Morumbi.

Fernando Dantas/Gazeta Press
Abatimento de Rogério Ceni ilustra a má fase vivida pelo São Paulo no Brasileirão
Atual 18º colocado, com 19 pontos, o São Paulo tem a companhia de outros dois clubes do estado na zona de rebaixamento. Com os mesmos 19 pontos do Tricolor, a Portuguesa leva a melhor nos critérios de desempate e ocupa a 17ª colocação. Das 19 rodadas, a Lusa passou apenas três fora da zona da degola.

A campanha da equipe seria diferente caso ela não tomasse tantos gols nos minutos finais de suas partidas. Nada menos que seis jogos poderiam ter desfecho diferente caso a defesa da Lusa não apagasse nos acréscimos do segundo tempo.

Já a Ponte Preta entrou em derrocada nas últimas partidas, chegou à sexta derrota consecutiva e é a 19ª colocada, com 15 pontos em 18 jogos. Cabe a Jorginho, terceiro técnico no Moisés Lucarelli na competição, tentar acabar com a crise que Guto Ferreira e Paulo Cesar Carpegianni não conseguiram.

Abaixo da Macaca está apenas o Náutico, com um pé na Série B do Campeonato Brasileiro. Desde o início da competição, o Timbu esteve fora da zona de rebaixamento apenas na quarta rodada. Em 18 jogos, o time pernambucano conquistou apenas duas vitórias, contra Inter e Flamengo, e três empates. A campanha é ainda mais dramática já que o time é o que mais sofreu e menos marcou gols – foram nove bolas nas redes adversárias e 32 buscadas nas suas.

Nelson Perez/Fluminense FC
Maus resultados derrubaram Abelão e já ameaçam Luxa no comando do Fluminense
Fluminense e Atlético-MG também lutam na parte de baixo

Atual campeão brasileiro, o Fluminense é mais um time a fazer campanha abaixo do esperado neste primeiro turno. Sem poder contar com Wellington Nem, negociado com o Shaktar Donetsk (Ucrânia), Deco, que decidiu deixar os gramados, e Fred, alvo de lesões e convocações para Seleção Brasileiro, o Tricolor Gaúcho conquistou apenas seis vitórias e soma 22 pontos – três posições acima da zona de rebaixamento.

Já o Atlético-MG parece ainda não ter assimilado a conquista da Copa da Libertadores e vive momento instável no Brasileirão. Alternando jogos com o time titular e o reserva, o Galo não tem feito boas exibições e é o primeiro time fora da degola. Em 18 partidas, a equipe mineira conquistou somente cinco vitórias e 22 pontos, três a mais que a Portuguesa e o São Paulo.

Vitória embala no início, mas paranaenses são a grande surpresa

Se alguns times favoritos ao título lutam contra o rebaixamento, a parte de cima da tabela também conta com alguns azarões. No início da competição, o Vitória pintou como uma das surpresas ao embalar série de bons resultados e figurar dentro do G-4 entre a segunda e a sétima rodadas. Assim como o atacante Maxi Bianchucchi, porém, o Leão perdeu força e é apenas o atual 12º colocado, com 23 pontos.

Já o Atlético-PR superou início ruim para fazer caminho oposto ao do time baiano. Após figurar quatro rodadas na zona de rebaixamento, o Furacão está há 12 jogos sem perder e ocupa posição no G-4 há quatro rodadas.

Enquanto isso, seu rival Coritiba deslanchou no início da competição, liderou em três rodadas e esteve no grupo dos quatro primeiros em outras oito. Uma lesão do meia Alex, no entanto, abriu série de resultados negativos do Coxa. Após seis jogos sem vitória, a equipe voltou a conquistar três pontos apenas neste domingo, quando o camisa 10 decidiu com dois gols contra o São Paulo. Com o resultado, a equipe subiu para a sétima colocação, seis pontos atrás do Atlético-PR.

Divulgação
Alex comandou bom momento do Coxa e é a esperança de reabilitação no segundo turno

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade