Futebol/Campeonato Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Atlético-GO vira em cima do Boa Esporte e deixa zona de rebaixamento

Goiânia (GO)

Antes do início do jogo desta sexta-feira 13, os vestiários do Serra Dourada foram recheados de sal grosso, e nas arquibancadas velas foram acessas, tudo para ajudar o Atlético-GO a vencer na Série B do Brasileiro. A estratégia surtiu efeito, e depois de um primeiro tempo ruim, o Dragão reagiu e virou o jogo em cima do Boa Esporte, vencendo por 3 a 1, e dando ânimo na luta para escapar do rebaixamento.

O primeiro gol do jogo foi anotado por Francismar, que inverteu posição com Fernando Karanga, para aparecer como centroavante para balançar as redes. No segundo tempo, os donos da casa melhoraram e João Paulo, Ricardo Jesus, cobrando pênalti, e Juninho viraram o jogo no Serra Dourada. Com a vitória, o Atlético-GO chega aos 23 pontos e deixa temporariamente a zona de rebaixamento, deixando os mineiros estacionados nos 32 pontos.

Na sequência da Série B do Brasileiro, o Boa Esporte vai encarar os alagoanos do ASA, partida marcada para a próxima terça-feira. Já o Atlético-GO terá compromisso contra o São Caetano, também na terça-feira, jogo no Serra Dourada, em Goiânia.

O jogo – Os objetivos na competição são distintos, mas a necessidade de vencer era igual para Boa Esporte e Atlético-GO, por isso, ninguém quis saber de retranca. O duelo da Coruja mineira contra o Dragão goiano começou de forma aberta, com as duas equipes priorizando o ataque, com alternância de oportunidades de gol.

Aos poucos, o Boa Esporte passou a ter mais posse de bola no campo de ataque, variando as jogadas pelos lados do campo, explorando principalmente a velocidade de Francismar e a visão de jogo do experiente Marcelinho Paraíba, que mais uma vez, coordenou a equipe boveta dentro das quatro linhas. Centralizado, o avante Fernando Karanga atuou como pivô em alguns momentos do jogo.

Aos 18, com a Coruja mineira já melhor no jogo, Karanga apareceu bem pelo lado direito, ganhou na velocidade da zaga goiana e cruzou para Francismar, que apareceu livre para cabecear, abrindo o placar no Serra Dourada, em uma jogada que as peças ofensivas inverteram os papeis. Em desvantagem no marcador, o Dragão tentou ser mais agressivo, mas deu muitos espaços para os visitantes, com uma marcação ruim.

Com isso, o time de Varginha seguiu com as rédeas da partida, deixando o Atlético-GO sem saída do campo de defesa para o ataque, forçando o tradicional chutão da zaga, que na maioria das vezes sobrou nos pés de algum jogador boveta. Taticamente, Nedo Xavier orientou melhor seus comandados, que mostraram obediência e empenho para exercer as funções dentro de campo.

Na volta para o segundo tempo, o técnico PC Gusmão resolveu promover duas mudanças na equipe, na tentativa de deixar o time atleticano mais ofensivo. Nos primeiros minutos, a estratégia surtiu efeito, mas os goianos persistiram nos mesmos erros da primeira etapa, o que fez os mineiros ganharem confiança no duelo.

As melhores chances do Atlético-GO nasceram quase sempre em lances de bola parada, cobranças de falta ou escanteio. Quando conseguiu trocar passes com mais eficiência, o Dragão chegou ao empate. Aos 18, João Paulo aproveitou descuido da defesa boveta para receber passe perfeito na área e bater rasteiro, no canto de Douglas.

O gol fez o Dragão acreditar na virada. Aos 25, o goleiro Douglas derrubou Regis dentro da área, o árbitro baiano Arilson Bispo da Anunciação não titubeou e marcou pênalti. Na cobrança, Ricardo Jesus converteu para os donos da casa, virando o marcador no Serra Dourada. Para fechar o placar, o atacante Juninho, que entrou no segundo tempo, balançou as redes aos 37, anotando um gol depois de cerca de dois anos de jejum.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade