Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Autuori admite impacto, mas já tenta reanimar Ceni e elenco

Tossiro Neto São Paulo (SP)

A derrota para o Criciúma, que impediu o São Paulo de deixar a zona de rebaixamento, não estava nas contas de Paulo Autuori. Muito menos com mais um pênalti desperdiçado por Rogério Ceni. O treinador admitiu que o clima pós-jogo não foi dos melhores, mas já tratou tentou reanimar o goleiro e os demais jogadores.

"Impacto, todo o mundo sente. Pedi todos se levantando. É normal que ele (Ceni) esteja mais (impactado), mas vai saber superar esse momento. É um momento complicado, difícil, em função de uma vez mais ter perdido. Mas o problema não é do Rogério, é nosso. Já aconteceu com outro", disse.

"Mas não vai nos abalar, não. Não vamos deixar ninguém cair, nem o Rogério, que perdeu o pênalti, nem nenhum outro jogador", acrescentou o comandante, que não usou o desgaste da terceira partida em cinco dias como justificativa pelo revés por 2 a 1.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Treinador tratou de reanimar os jogadores, principalmente Rogério Ceni, ainda no vestiário do Morumbi
"Não vou admitir, em nenhum momento, falar de cansaço. É uma coisa que nós proibimos antes do jogo. A equipe não deixou de correr, de lutar. Mas não adianta correr de forma desorganizada. O que não pode acontecer é errar o tanto de passe que errou, não é normal", avaliou.

Na opinião de Autuori, o gol sofrido aos 23 minutos do primeiro tempo - em pênalti cometido por Rodrigo Caio e convertido por Marcel - desestabilizou emocionalmente seus jogadores, "dando de bandeja o jogo para o adversário" e consequentemente mantendo a equipe com apenas 18 pontos, na antepenúltima posição.

O elenco retorna aos trabalhos nesta sexta-feira, no CT da Barra Funda, dois dias antes da partida contra o Coritiba, no Couto Pereira.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade