Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Ceni reclama da CBF, mas critica também Tricolor e alfineta desafeto

Rio de Janeiro (RJ)

O goleiro Rogério Ceni reforçou o discurso de dirigentes e comissão técnica do São Paulo nas críticas à Confederação Brasileira de Futebol, mas surpreendeu ao reclamar do próprio planejamento do Tricolor. Depois do empate contra o Botafogo, neste domingo, o capitão são-paulino foi contundente ao manifestar sua discórdia com a excursão feita pelo clube, idealizada pelo ex-diretor de futebol, seu desafeto Adalberto Baptista.

“Foi uma loucura o que fizemos, porque jogamos três jogos em quatro dias lá fora. Se por um lado a CBF não mostra boa vontade, nós também pecamos por termos feito a viagem. Houve erro dos dois lados, e não vamos nos fazer de vítima. A CBF não parece preocupada com clubes, mas nós também temos parcela de culpa”, declarou.

O São Paulo tem uma maratona de compromissos a partir deste fim de semana, por conta de um ajuste na tabela depois da viagem do clube pelo exterior. Na excursão, o Tricolor deveria ter disputado apenas a Copa Suruga, contra o Kashima Antlers, por ter sido o campeão da Copa Sul-americana.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Rogério Ceni criticou muito a viagem pela Europa, idealizada por seu desafeto Adalberto Baptista
O título do torneio colocou a obrigação de o São Paulo ser o representante da Conmebol no Japão. Porém, o time aproveitou a viagem para disputar também a Copa Audi, na Alemanha, e a Copa Eusébio, em Portugal, em participações que tinham Adalberto Baptista como mentor. O diretor de futebol acabou demitido antes mesmo da viagem, pouco depois de ter se desentendido com o goleiro.

“Nós adiantamos jogos em uma fase muito ruim e hoje estamos pagando caro pelos erros que cometemos. Não tem ninguém que seja vítima. O São Paulo errou na saída, e a CBF errou por não ajeitar datas melhores, sendo que tivemos duas semanas cheias agora e poderiam ter marcado esses jogos”, acrescentou.

Para viabilizar as viagens, o São Paulo teve partidas antecipadas no Brasileirão, mas restou um jogo atrasado diante do Náutico. O compromisso diante do Timbu foi remarcado pela CBF para terça-feira, ou seja, apenas dois dias depois do empate com o Botafogo. Em seguida, na quinta-feira, o time de Paulo Autuori enfrenta o Criciúma, com duelo no domingo contra o Coritiba.

“A Confederação deveria beneficiar os times. O Náutico vem sofrendo consequências sem ter participado de nada, sem ter culpa. Nós até sofremos de certa forma uma punição de jogar a cada 48 horas, por termos feito amistosos antes do jogo no Japão. Poderíamos ter ido direto”, completou.

O time pernambucano vem de uma sequência forte de jogos. Enquanto o São Paulo teve duas semanas sem jogos no meio, o Timbu jogou clássicos contra o Sport nas duas datas, pela Copa Sul-americana. Ou seja, o clube pernambucano não poderia ter atuado nas semanas livres do Tricolor, como queria Rogério Ceni.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade