Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Coxa fala em evolução, mas admite que só vitórias mudarão a fase

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

Dez jogos e apenas uma vitória. Esses são os números do Coritiba, que vem de dois empates seguidos em casa, o último diante do Goiás, por 2 a 2, que complicou ainda mais a situação do time na classificação do Campeonato Brasileiro. O meia Alex, que desta vez não conseguiu salvar o time com algum gol decisivo, desta vez viu alguma evolução na equipe, mas sabe que o Coxa está longe de atuar da maneira que fez quando era líder da competição.

“O primeiro tempo foi legal, no segundo a gente parou um pouco. Tem que continuar. Fomos um pouco melhor que nos últimos jogos, mas ainda não é aquilo que já mostramos”, afirmou o garoto de ouro coxa-branca, que aproveitou para defender o técnico Marquinhos Santos das críticas e vaias recebidas. “Como o Marquinhos vai trabalhar com dois dias de diferença entre os jogos, com um bando de jogadores machucados? É a cultura do nosso futebol achar um culpado”, desabafou.

Para o Vanderlei, falhas defensivas voltaram a pesar no resultado e agora não existe mais espaço para tropeços caso o time ainda almeje algo no Brasileirão. “Dentro de casa, fizemos uma bela partida, mas mais uma vez pecamos, tomamos gols bobos. Tem que ter paciência, a fase tem que mudar. A bola está batendo na trave e saindo. Quando aparece a chance tem que fazer. Tem que melhorar para buscar uma sequência de vitórias”, avaliou.

O volante Gil já pensa no Fluminense, próximo desafio na competição, e também falou na necessidade de matar as partidas para evitar mais desgaste. “Não dá para lamentar. Tivemos um volume bom no primeiro tempo, fizemos o gol e podíamos ter matado. Mas, num erro nosso, tomamos os gol. E correr atrás do resultado fica difícil. Mas alguma coisa precisa acontecer, porque ficar assim não dá”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade