Futebol - ( )

Em alta, Cássio usa Marcos e Ceni para explicar falhas anteriores

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Decisivo no placar zerado de Corinthians x Cruzeiro, Cássio foi questionado se sua atuação excepcional lhe daria confiança para a sequência da temporada. O goleiro não gostou da pergunta, dizendo que nunca deixou de acreditar em si e condenando a suposta desconfiança em torno de seu trabalho.

“Não sei se desconfiavam, mas eu sempre fui muito confiante. Para quem achava que eu nunca iria falhar, é só olhar o Rogério Ceni e o Marcos. Eu falo neles porque me baseio em caras que ficaram muito em um clube. E, claro, eles tiveram suas falhas. É óbvio que não quero errar nunca, mas, se eu falhasse e me abatesse...”, afirmou.

Cássio não considerou justas as críticas recentes. Importante na conquista da Copa Libertadores do ano passado e ainda mais importante na conquista do Mundial, ele julga ter crescido no segundo semestre após um primeiro semestre prejudicado por uma série de lesões.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Cássio tratou Willian, Nilton e Julio Baptista com a mesma crueldade dirigida a Fernando Torres
“Agora consegui fazer uma sequência. Não quero justificar nada, mas sou um goleiro alto e preciso trabalhar muito. Não fazer uma pré-temporada atrapalhou bastante a primeira metade do ano. Na segunda, tirando aquela da Recopa, logo no primeiro jogo após a parada, não vejo grandes falhas”, comentou.

Seja qual for a explicação, Cássio lembrou muito, contra o celeste Cruzeiro, o goleiro que fechou o gol contra o também azul Chelsea, em dezembro do ano passado. Em fase complicada, o Corinthians precisa de mais atuações como aquelas que tornaram o goleiro cabeludo uma figura histórica do clube.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade