Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Em maior insatisfação do ano, torcida vaia Corinthians e xinga Ibson

Marcos Guedes São Paulo (SP)

O desespero era tão grande no fim da partida contra o Náutico que parte da torcida do Corinthians pediu Zizao. A Fiel tentou empurrar o time para a vitória e deu o seu apoio até o apito final, mas, terminado o 0 a 0 contra o lanterna do Campeonato Brasileiro, deu sua maior demonstração de insatisfação na temporada.

A equipe alvinegra deixou o gramado do Pacaembu sob vaias. E o meio-campista Ibson foi o principal alvo. Parte do público presente nas cadeiras numeradas e no tobogã chegou a xingar o jogador fluminense – que não foi bem, mas esteve perto de ser o herói, batendo bola de fora da área no travessão.

“Faz parte. Empatamos, e a torcida esperava a vitória. Fico um pouco triste porque, no meu modo de ver, fizemos até uma boa partida, tentamos, mas o futebol é assim. Estou tranquilo, fazendo o meu trabalho bem feito”, afirmou o camisa 18, que julgou ter feito um bom jogo.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Ibson considerou boa a sua atuação no péssimo empate do Corinthians com o Náutico
“As coisas vêm acontecendo, estou tendo uma sequência de jogos. Hoje, pude fazer mais uma boa partida, mas a equipe não venceu. A cobrança vai ser grande para quem jogar no lugar do Paulinho, mas sei da minha capacidade. O grupo confia em mim e vou continuar”, acrescentou.

Já Tite, falando sobre as vaias gerais ao time, procurou mostrar compreensão. “Eu aprendi a respeitar o sentimento do torcedor. Em nenhum momento você vai me ver contrapor isso. É o sentimento dele, e eu tenho que respeitar. Tenho que estar preparado para esse tipo de coisa”, afirmou.

O gaúcho só tentou, à sua maneira, pedir também compreensão, lembrando que a equipe tinha oito desfalques contra o Náutico, bem diferente do que aconteceu na goleada sobre o Flamengo na semana passada. “A torcida vai saber avaliar quem estava disponível em um jogo e quem está disponível no outro, qual a possibilidade e por que não se repete a escalação.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade