Futebol/Campeonato Brasileiro - ( )

Emerson conta com “o verdadeiro torcedor” e tenta aceitar a reserva

Helder Júnior São Paulo (SP)

Emerson nem seria titular do Corinthians na goleada sobre o Flamengo, no domingo, mas já havia se tornado o centro das atenções antes de a partida começar. Posicionados no setor visitante do Pacaembu, torcedores do seu ex-time fizeram coro para ironizar a polêmica demonstração de afeto do atacante a um amigo: “Beija, beija! Tá calor, tá calor!”. No tobogã, não havia defesa para o Sheik. Uma torcida organizada corintiana cobrou “respeito” dele em uma faixa pendurada ali para homenagear o time campeão mundial em 2012.

“Tenho certeza de que o verdadeiro torcedor está comigo”, confiou Emerson, que precisou pedir desculpas em uma reunião com a maior organizada do Corinthians. “Mas algumas coisas são impossíveis de apagar”, ponderou. De fato, a foto em que o Sheik aparece beijando a boca de um proprietário de um restaurante paulistano já se disseminou na internet.

Apesar de ter que se acostumar às gozações de rivais e à desconfiança de parte dos corintianos, Emerson ainda não se conformou muito bem com cobranças por causa de sua atitude. “Cara, não sei o que estão falando sobre eu ter respeito. Não vi a faixa da torcida. O que posso dizer é que estou extremamente feliz no Corinthians. A educação que recebi dos meus pais e aquela que passo para os meus filhos me deixam com a consciência bastante tranquila. Respeito muito essa instituição. Sempre provei isso em campo”, bradou, incomodado com o tema.

“Esse assunto realmente não cabe mais. Vou repetir: a educação que passo para os meus filhos e a que tive em casa me deixam muito tranquilo com o que aconteceu. Não vejo falta de respeito em nada do que fiz”, concluiu.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Emerson ainda não está com a cabeça a prêmio, mas sabe que precisa reconquistar parte da torcida
A chateação do Sheik com a controvérsia em que se envolveu não o afastou da imprensa. Após a vitória por 4 a 0 sobre o Flamengo – em que sofreu o pênalti originário do último gol, marcado por Guerrero –, ele fez questão de circular pela sala de imprensa do Pacaembu e concedeu demoradas entrevistas.

Emerson sabe que precisa aparecer – desta vez, sem causar polêmica. Afinal, ele perdeu a sua vaga entre os titulares para o astro Alexandre Pato, autor de dois gols sobre o Flamengo e enfim ovacionado pela torcida, após se impacientar com uma substituição.

“Isso mostra a força do grupo. Isso é respeito. O Tite faz um rodízio bacana, e é legal saber que todo o mundo tem a sua importância para o time. Fiquei no banco agora. Em outros momentos, foram o Romarinho, o Danilo, o Douglas, o Pato... Mas o campeonato é longo, e há espaços para todos”, sorriu, aprendendo a lição.

Um espaço poderá ser aberto para Emerson nos próximos dias, já que o centroavante Paolo Guerrero irá se apresentar à seleção do Peru. “Ainda não sei se vou jogar. Vamos ver o que o Tite definirá. Quem entrar estará preparado”, discursou Emerson Sheik, muito respeitoso, priorizando os objetivos coletivos da instituição. “A vitória contra o Flamengo nos deu moral, pois jogamos bem e tivemos folga no placar. Vamos em busca do título, mas sabendo que estamos no primeiro turno, com todo o segundo pela frente. Ainda é muito cedo.”

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade