Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Empate do Coxa faz Marquinhos acreditar em evolução

Do correspondente Luiz Felipe Fagundes Curitiba (PR)

O empate diante do Goiás, em pleno Couto Pereira, pelo Campeonato Brasileiro, não era o resultado esperado pela torcida do Coritiba. Desta vez, pelo menos, os adeptos deixaram as vaias e protestos apenas para o final da partida, ainda que de forma mais tímida, já que o futebol apresentado em campo deu sinais de reação. Essa também foi a análise do técnico Marquinhos Santos, que achou o resultado injusto pelas oportunidades criadas.

“Se tivesse que sair um vitorioso no jogo era o Coritiba. A questão da evolução da equipe, acho que ficou nítida pelas oportunidades criadas”, afirmou o treinador coxa-branca, que na segunda etapa precisou fazer algumas alterações por desgaste físico. “Nossas substituições foram forçadas. O Vitor e o Escudero estavam voltando, tudo normal, e o Lincoln sentiu o tornozelo e estava afetando em campo”, emendou.

Com três bolas na trave, o treinador agora espera por uma melhor sorte para acabar esse período irregular na competição. “Nos jogos que estou no comando, ao longo de um ano, esse foi o que teve mais bolas na trave. Mas mostra que o time está criando, está construindo. Não ficamos satisfeitos porque buscamos a vitória, mas teve o ponto conquistado, até pela oscilação no campeonato e, dentro das necessidades e adversidades, buscamos pontuar”, avaliou.

Sem a perspectiva de receber reforços. Marquinhos começou apostar em garotos da base, como Abner e Jânio, mas adverte que eles ainda não estão totalmente preparados para a missão. “São atletas que estão passando por uma transição, assim como o Vinícius, que fez um bom jogo diante do São Pulo e depois teve uma queda. Gradativamente tenho lançado esses atletas em função da necessidade, e eles estão dando a resposta. Mas, não é o momento de criticar ou julgar, mas de apoiar”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade