Futebol/Eliminatórias Copa 2014 - ( )

Esperando convocação, Mendieta só abre mão da seleção se clube pedir

William Correia São Paulo (SP)

Enquanto treina com o Palmeiras, ainda sem saber se terá condições de enfrentar o América-RN no sábado, Mendieta viverá na manhã desta sexta-feira a expectativa de voltar a ser chamado pela seleção paraguaia. Uma esperança tão grande que o jogador já avisa: só abrirá mão da seleção nacional caso o clube solicite.

O Verdão pediu ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva que retire o efeito suspensivo em relação ao gancho de quatro jogos do meia. Caso a solicitação seja aceita, o meia será desfalque contra América-RN e Oeste, mas ficaria à disposição enquanto Valdivia estiver com a seleção chilena. Toda a manobra, porém, se invalidaria caso Mendieta fosse convocado.

“Se o Palmeiras pedir é outra coisa. Mas, se a seleção me chamar, tenho que ir. O Paraguai não tem mais possibilidade de se classificar para a Copa do Mundo, mas está começando um novo processo e estar na seleção seria um orgulho muito grande”, comentou Mendieta.

Se for chamado, o jogador deveria enfrentar Venezuela, no dia 11, e Colômbia, no dia 15, ambas pelas Eliminatórias, desfalcando o Verdão contra Figueirense, no dia 8, Guaratinguetá, no dia 11, e Icasa, no dia 15. Mas, como o Paraguai já não tem mais chances de estar na Copa do Mundo, o Palmeiras pode fazer valer sua estratégia de ter Mendieta solicitando sua dispensa.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Meia quer embarcar para os últimos jogos das Eliminatórias, mas acatará se Verdão pedir sua dispensa
Contudo, ser dispensado ou até esquecido na lista com anúncio previsto para a manhã desta sexta-feira será uma frustração para o atleta de 24 anos. “Estou muito esperançoso para ser chamado. Trabalho duro para isso”, comentou Mendieta, já preparando, entretanto, um discurso conformista. “Se a convocação não sair, vou continuar trabalhando e pensando no Palmeiras.”

Formado no Libertad, clube que o vendeu para o Verdão em julho, Mendieta tem um jogo pela seleção, e foi sob o comando do ex-lateral direito Arce, ídolo do Palmeiras que lhe sugeriu acertar com o time de Gilson Kleina. O meia saiu do banco de reservas para atuar por cerca de 25 minutos e levar cartão amarelo na vitória por 1 a 0 sobre a Guatemala em amistoso disputado na América Central, em 25 de abril de 2012.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade