Futebol/Campeonato Brasileiro - ( - Atualizado )

Flamengo vê jogo contra o Coritiba "estratégico" para alegria tardia

Gazeta Press Rio de Janeiro (SP)

O Flamengo está vivendo um clima de muita alegria após a goleada de 4 a 1 sobre o Criciúma, que levou o time para os 30 pontos, cinco de vantagem para a zona de rebaixamento. Porém, a euforia está longe de fazer parte da rotina da Gávea, segundo afirmações do técnico Jayme de Almeida e dos jogadores. Na visão deles, a situação vai realmente clarear se o time conseguir um bom resultado nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), quando enfrenta o Coritiba, no Couto Pereira, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Divulgação/Flamengo
Técnico Jayme de Almeida resolveu colocar pés no chão após goleada sobre o fraco Criciúma no Maracanã
“Para nós, trata-se de um jogo muito importante, estratégico, pois, ganhando, vamos emplacar a segunda vitória consecutiva e, se a rodada ajudar, nos distanciaremos ainda mais da parte de baixo da tabela de classificação. Ganhar como visitante é algo que pode acabar fazendo toda a diferença em uma competição marcada pelo equilíbrio, em que os clubes tentam sempre fazer prevalecer o próprio mando de campo. Estamos felizes após a goleada diante do Criciúma, mas sabemos que ganhar do Coritiba é fundamental”, disse o lateral-direito Léo Moura.

O volante Luiz Antonio tem opinião muito parecida. “Acredito que, se emplacarmos a segunda vitória consecutiva, em um jogo complicado como esse contra o Coritiba, vamos começar a mudar de vez a nossa realidade neste Campeonato Brasileiro. Não atingimos o nosso objetivo na competição e não podemos nos iludir com a goleada diante do Criciúma. O jogo contra o Coritiba é estratégico”, analisou.

Jayme de Almeida foi mais um a afastar o clima de euforia. Ele entende que todos ainda precisam estar com o sinal de alerta ligado sobre o risco de rebaixamento para a segunda divisão.

“Seria leviano se dissesse que acabou o risco. Precisamos trabalhar muito para sair dessa situação. O perigo continua e temos consciência disso. Não tem um jogo fácil. Sabemos disso. Seria leviano se dissesse que acabou o risco. Precisamos trabalhar muito para sair dessa situação. O perigo continua e temos consciência disso. Não tem um jogo fácil. O jogo contra o Criciúma era de importância muito grande. No primeiro tempo, fizemos uma partida muito boa, trabalhamos a bola. Fomos felizes no que nos propusemos. Fizemos dois gols de bola parada, o que não é comum. O time do Criciúma é muito perigoso, tem jogadores rápidos na frente. Nosso time está numa situação que, às vezes, passa insegurança, como foi no segundo tempo. O Criciúma cresceu. Mas o jogo acalmou, saíram os contra-ataques. O resultado é de 4 a 1, mas sabemos que o Flamengo não é nenhuma oitava maravilha do mundo”, filosofou o treinador.

Para o jogo contra o Coritiba, Jayme não poderá contar com o goleiro Felipe, expulso diante do Criciúma. Paulo Victor, que entrou no decorrer do duelo contra o Tigre, permanecerá no posto. O zagueiro Samir, com dores na região pubiana, será reavaliado, mas suas chances de atuar são reduzidas. A tendência é que Chicão permaneça ao lado de Wallace no setor. Nesta segunda-feira, os jogadores se reapresentaram apenas para um trabalho regenerativo e, nesta terça-feira à tarde, no Ninho do Urubu, acontece o último treino antes do jogo, com a delegação viajando em seguida para a capital paranaense.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade