Futebol - ( - Atualizado )

Frustrado no Peru, Guerrero é abraçado com homenagem no Corinthians

Marcos Guedes São Paulo (SP)

Paolo Guerrero viajou ao Peru há duas semanas, na esperança de deixar encaminhado aquele que era o seu grande objetivo, colocar sua seleção na Copa do Mundo. Voltou frustrado, já sem chance de disputar o Mundial do Brasil, mas teve uma demonstração de que a nação peruana não é a única com espaço em seu coração.

O centroavante conheceu na tarde de sexta-feira o painel instalado no CT do Corinthians em alusão ao gol do título mundial conquistado no ano passado. A imagem mostra o momento em que ele sobe, fora do alcance do zagueiro David Luiz, do Chelsea, para cabecear a bola e pintar o planeta de preto e branco.

“É a primeira vez que vejo. Achei lindo. Mais lindo ainda foi viver aquele momento em que fiz o gol”, afirmou Guerrero, antes de descrever o que pensou do instante em que o chute de Danilo foi bloqueado por Cahill até aquele em que a bola se ofereceu à sua cabecinha de ouro.

“A pelota... A bola estava indo. Só pensei que tinha fazer o gol que ia dar para a gente o Mundial. Tenho a imagem guardada. Não sei se daqui a cem anos vou ter na memória, mas foi importante demais, vai ficar, sim. Da minha vida, até agora, foi o gol mais importante”, comentou.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Guerrero usou a cabeça para marcar definitivamente o seu nome na história do Corinthians
De acordo com Guerrero, antes mesmo de botar a bola na rede de Petr Cech em Yokohama, já era possível farejar o tamanho do momento. Após nove meses, agora com o lance eternizado ao lado de outros grandes gols da história do Corinthians, a teoria só foi reforçada.

“Dava para imaginar, sim. Era um campeonato mundial, contra o Chelsea, com toda a pressão que existia. Era um sonho do torcedor. Eu sabia de certa maneira a importância que tinha, mas não sabia que seria tão grande assim. Não se ganha um Mundial todos os dias”, disse o peruano.

O valor de seu gol é certamente superior ao primeiro de Ronaldo, sempre citado por Guerrero como seu grande ídolo, com a camisa do Corinthians. O lance no qual o Fenômeno balançou a rede do Palmeiras, em 2009, inaugurou a série de painéis – uma iniciativa da patrocinadora Nike – e está ao lado da jogada que derrubou o Chelsea no Japão.

“Não. Não superei nada. Fiz um gol muito importante, que deu o Mundial, e fico feliz por estar marcado na história. Agora, preciso seguir trabalhando. Isso dá motivação extra, superior à que eu já tinha. Vou seguir trabalhando, quero mais títulos aqui”, disse o centroavante, sonhando com novas homenagens. “Vão ter que botar no outro campo.”

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Guerrero está ao lado do ídolo Ronaldo na galeria de imagens de gols históricos do Corinthians

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade