Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Gestão de “reconstrução” do Palmeiras se torna exemplo empreendedor

Yan Resende, especial para a GE.Net São Paulo (SP)

Eleito no dia 21 de janeiro, Paulo Nobre assumiu um Palmeiras desorganizado, com problemas não só dentro de campo, após o rebaixamento, mas também afetado por brigas políticas nos bastidores. O presidente, portanto, iniciou uma gestão de reconstrução no Palestra Itália, e, aos poucos, vem colhendo o resultado. Na noite desta quarta-feira, o clube alviverde foi usado como exemplo de empreendedorismo em um evento organizado por Fiesp e Senai no Anhembi, zona norte de São Paulo.

Após seguidas gestões que frustraram o torcedor palmeirense, afastando o clube da disputa de títulos, Paulo Nobre quis implantar uma filosofia diferente, colocando profissionais para exercer cargos importantes, como os departamentos de futebol e marketing. De acordo com o presidente, a presença de torcedores para tais funções poderia ser prejudicial, já que algumas ações exigem racionalidade, quando o aficionado pelo Palmeiras tenderia a usar a paixão.

“O futebol no Brasil foi profissionalizado nos anos 30 por parte dos jogadores, mas a administração continuou amadora. Nós entendemos que seria fundamental profissionalizar ou pelo menos implantar uma semente disso na parte administrativa do clube. Nós julgamos que a contratação de profissionais para cargos importantes no Palmeiras era fundamental, pois poderíamos cobrar atenção total destes profissionais. O trabalho está sendo incessante desde o primeiro dia de gestão nessa filosofia”, explicou Paulo Nobre.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Diretor-exevutivo de futebol, José Carlos Brunoro se tornou fundamental para a "reconstrução" da gestão de Nobre
Para ‘arrumar a casa’, Paulo Nobre escolheu seus homens de confiança na formação do departamento de futebol. Destaque da parceria com a Parmalat na década de 90, José Carlos Brunoro foi chamado para o cargo, passando a ser o responsável pela montagem da equipe em 2014. Sendo assim, deixou claro que a prioridade seria o retorno à primeira divisão, algo que deve ser conquistado nas próximas semanas. A reconstrução, no entanto, ainda está em fase inicial.

“Está bastante no começo ainda, a gente está mirando um futuro, buscando com os pés no chão. Estamos muitos felizes com essa reconstrução, mas a gente sabe que tem muita coisa para fazer ainda. O nosso planejamento é mais em médio prazo, precisamos ter muita paciência e equilíbrio para atingir, mas o grande objetivo do ano, que é a Série B, falta pouquinho”, analisou José Carlos Brunoro.

Nesta quarta-feira, Paulo Nobre revelou os novos projetos para expandir a marca alviverde. O clube pretende lançar uma revista oficial, um aplicativo para celulares e um canal de televisão, seguindo o modelo já adotado por alguns times brasileiros. “O Palmeiras na TV é mais uma oportunidade do palmeirense saber mais sobre o seu clube, ter histórias do seu clube na televisão”, esclareceu o mandatário do Verdão.

Como exemplo de empreendedorismo na gestão, José Carlos Brunoro usou o atual programa de sócio-torcedores, que vinha sendo esquecido por outros presidentes que passaram pelo Palestra Itália. No início da administração, em abril, o clube contava com 9 mil associados, mas, com a implantação do Avanti, pacote de vantagens para o seu torcedor, o Palmeiras chegou aos 33 mil em setembro, um aumento de 350%. De acordo com o diretor-executivo, o objetivo é atingir 100 mil no final de 2014.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade