Futebol/Campeonato Holandês - ( )

Inspirado por Kaká, Piazon quer retorno em grande estilo ao Chelsea

Bruno Grossi, especial para a GE.net São Paulo (SP)

Desde que despontou nas categorias de base do São Paulo, o franzino Lucas Piazon sempre foi apontado como possível sucessor de Kaká, outra revelação tricolor. O jovem, fugindo à regra, nunca se incomodou com as comparações e preferiu ter no astro sua fonte de inspiração. Novamente emprestado pelo Chelsea, agora para o Vitesse, o garoto se espelha no retorno de Kaká ao Milan para brilhar na Holanda e cair nas graças dos ingleses.

Diferentemente de seu ídolo, Piazon teve vida curta com a camisa são-paulina. Enquanto o experiente milanista conquistou um título em mais de dois anos no Morumbi, a promessa formada no CFA Laudo Natel, em Cotia, não chegou a integrar a equipe profissional e logo foi negociado com o Chelsea em março de 2011 por 7,5 milhões de euros (R$ 17,4 milhões).

A chegada ao Chelsea foi cercada de expectativas, mas os londrinos preferiram que o brasileiro ganhasse experiência no time B em sua primeira temporada na Inglaterra. Em 2012, o meia-atacante chegou a disputar alguns jogos pela equipe de cima e foi emprestado ao Málaga para tentar encontrar mais espaço e ganhar ritmo de jogo.

Leia mais: Por renascimento com Milan, Kaká inicia nova caminhada no Calcio
Leia mais: Com números incríveis na Seleção, Kaká e Robinho reeditam dupla
Leia mais: Em 2005, meia falou sobre crise tricolor e aposentadoria no Morumbi

O surpreendente clube andaluz fazia boa campanha na Liga dos Campeões da Europa, eliminado apenas nas quartas de final para o Borussia Dortmund, quando uma notícia dos bastidores abalou um elenco milionário e em formação. O xeque catariano Abdullah Bin Nassser Al-Thani, proprietário do clube, decidiu interromper os investimentos e deu início à debandada de jogadores com salários atrasados.

Embora não tenha sofrido com a crise financeira, já que tinha os vencimentos quitados pelo Chelsea, Lucas Piazon não permaneceu em La Rosaleda e voltou à Inglaterra. O jovem participou de toda a pré-temporada dos Blues, agradou ao técnico José Mourinho, mas mais uma vez foi emprestado para ganhar experiência. Titular do Vitesse no começo do Campeonato Holandês, a promessa voltou a mirar no exemplo de Kaká, recepcionado com festa em San Siro, para ter retorno marcante em Stanford Bridge.

Divulgação
O brasileiro Piazon nega arrependimento por buscar espaço no Málaga e agora no holandês Vitesse
GazetaEsportiva.net - Como está a adaptação à Holanda? Como é o clube? Os companheiros ajudam?
Lucas Piazon - Está indo muito bem. A Holanda é um país muito gostoso de morar e o clube tem uma ótima estrutura. É muito organizado, tem um centro de treinamentos excelente, um estádio muito bom e todos me receberam muito bem. Tem brasileiro, tem sul-americano e isso ajuda bastante nos primeiros dias para conhecer o pessoal.

GE.net - Acha que como titular pode convencer o Chelsea de que pode ficar?
Lucas Piazon - É claro que todo jogador espera ficar no time em que foi contratado. Aqui poderei ser titular, terei uma sequência e isso pode me ajudar a ter mais espaço no Chelsea quando voltar. Esse é o objetivo de todo mundo.

GE.net – Como é ver Kaká, seu ídolo, voltando ao Milan depois de quatro anos?
Lucas Piazon - Acho que ele fez a coisa certa. No Real Madrid estão sempre contratando um monte de jogadores para a posição dele (nesta janela, o galês Gareth Bale), fica complicado. Todo jogador prefere atuar em um clube onde é amado pela torcida, onde tem uma história. Acredito que será ótimo para ele esse retorno. Ele vai conseguir dar a volta por cima. E espero um dia passar por isso. Todo mundo sonha em receber o carinho da torcida dessa maneira.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Durante as férias do futebol europeu, Lucas Piazon visitou a redação da GE.net e a Rádio Gazeta AM
GE.net - Como foi a experiência no Málaga? Como a crise financeira e desistência do investidor interferiram no ambiente?
Lucas Piazon - Foi uma experiência muito boa, não tenho do que reclamar. Olhando hoje, não me arrependo de ter saído do Chelsea. Lá não teria espaço e no Málaga pude jogar várias partidas, até na Liga dos Campeões. Foi muito bom para mim, cresci muito como profissional. Hoje não sei como está a situação da equipe, mas foi complicado. Sei que o investidor acabou desistindo e que alguns jogadores e funcionários tiveram problemas para receber. Graças a Deus eu não tive isso.

GE.net - Como foi o retorno ao Chelsea? Como estava o ambiente com a chegada de Mourinho?
Lucas Piazon - Fui muito bem recebido, como sempre. Gosto muito de lá, tenho meus amigos e o clima estava ótimo com o Mourinho. Ele conhece o clube, sabe como é a torcida e isso ajuda bastante. Ele conversou comigo, disse que apostaria em jogadores mais experientes e que seria melhor que eu e outros jovens buscássemos outros times para pegar ritmo.

GE.net - Qual a diferença entre o futebol jogado na Espanha, na Inglaterra e na Holanda?
Lucas Piazon - Na Espanha o futebol é mais aberto, com mais toque e com muitos jogadores de qualidade. Na Inglaterra o campeonato é mais forte, com certeza. Os times são competitivos, o jogo é de muita força física, velocidade. Já na Holanda os times apostam muito em jogadores jovens e só usam o toque de bola, não tem chutão. Aqui o jogo é de velocidade, com muitas chances de gol. Fica muito gostoso de assistir.

GE.net – Tem dicas para Neymar na Espanha?
Lucas Piazon - O futebol espanhol é muito bom para os atacantes, pude perceber isso na última temporada. No primeiro tempo o jogo é mais pegado, os times marcam muito, mas no segundo tempo sobra espaço no contra-ataque. Além disso, todos os times têm jogadores de muita qualidade, o que facilita para qualquer atacante receber bons passes.

Site Oficial/saopaulofc.net
Lucas Piazon formou grande parceria com Ademílson, hoje nos profissionais do São Paulo, nos times de base
GE.net - Pensou em voltar ao Brasil para poder jogar mais?
Lucas Piazon - Não, não. Nem passou pela cabeça. Ainda estou começando na Europa e não tenho planos de voltar.

GE.net - Como é ver o São Paulo correndo risco de ser rebaixado? Tem alguma mágoa do clube?
Lucas Piazon - É estranho o que está acontecendo. Enquanto estive de férias no Brasil eu assisti alguns jogos. O time não é ruim, pelo contrário, tem muitos jogadores de qualidade. Acontece que ainda não encaixou. Agora vem crescendo e espero que possa sair desta situação. Não tenho mágoa nenhuma. Saí de lá direto de Cotia, sem passar pelo profissional, mas sempre me dei bem com técnicos, jogadores e dirigentes. Não tenho do que reclamar.

GE.net - Como vê o sucesso da base do São Paulo na Seleção Brasileira com Hernanes, Lucas e Oscar?
Lucas Piazon - O São Paulo sempre investiu muito nas categorias de base. Construiu um dos melhores centros de treinamento do mundo e dá suporte aos jovens. Às vezes demora um pouquinho para que alguém se destaque e aí já dizem que não revela, mas é só esperar que aparece um no São Paulo e na Seleção.

GE.net – Felipão deve continuar apostando em jovens? Espera ser um deles nos próximos anos?
Lucas Piazon - Acho que tem que manter o que deu certo, sim. O teste de fogo foi a Copa das Confederações e eles deram conta do recado, não tem porque mudar. É claro que a gente sonha com Seleção Brasileira, mas é preciso trabalhar bastante para um dia chegar lá. Agora terei chance como titular, espero me sair bem, voltar ao Chelsea e aí começar a pensar em ser convocado.

Divulgação/Fifa
O meia-atacante revelado pelo São Paulo teve bom desempenho pela Seleção Brasileira no Mundial sub-17 de 2011

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade