Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Jogadores culpam azar e garantem que não há acomodação no Palmeiras

Belo Horizonte (MG)

Capitão do Palmeiras, Henrique falou em nome dos jogadores para desmentir qualquer impressão de acomodação que o time pode ter deixado no empate com o América-MG. O zagueiro, que desde o primeiro tempo abandonava sua posição para atacar, garante que a equipe só vai deixar de lutar quando se garantir na primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

“Não tem acomodação porque não atingimos o nosso objetivo ainda. A tendência é alcançar, mas não podemos nos acomodar, precisamos subir e conseguir o título”, avisou, alegando que o desgaste atrapalha o Verdão nesta sequência de dois jogos por semana. “Na partida, às vezes, na hora de um pique dá uma cansada, mas tem 11 em campo para correr um pelo outro. Não tem acomodação, sempre buscamos o resultado.”

Se em campo o time chegou a abdicar de marcar, o discurso é de respeito total a qualquer adversário, inclusive ressaltando mérito a rivais. “Não é porque somos time grande que vamos vencer a qualquer momento. Jogar aqui contra o América-MG é difícil e, jogando fora de casa, é normal eles virem para cima”, minimizou Leandro.

Mesmo a dividida perdida por Henrique no lance do gol mineiro não foi apontada como erro. “A bola rebateu e sobrou limpa para o cara. Foi mais azar mesmo”, indicou Luis Felipe. “Temos que contar às vezes que a sorte está para o adversário também”, completou Fernando Prass.

Por isso, o capitão do time fala em atuação convincente. “Foi uma boa partida contra uma equipe que está lutando pelo G-4. Fizemos um grande jogo, o time se dedicou do começo ao fim, tivemos chance, mas não conseguimos marcar. Agora é descansar para terça-feira buscar uma vitória”, falou Henrique, citando o jogo contra o Avaí, em Florianópolis.

Acomodado ou não, o Palmeiras, apesar da apresentação deste sábado, continua tranquilo com sua campanha na Série B do Brasileiro. O clube termina a 22ª rodada na liderança, a três pontos do segundo colocado e a 15 do quinto, primeiro time fora da zona de acesso. O Verdão tem 16 jogos para somar os 17 pontos que a comissão técnica ainda julga necessários para se garantir na Série A do ano que vem.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade