Futebol/Brasileiro Série B - ( - Atualizado )

Kleina comemora atuação de Márcio Araújo e "cheiro de gol" de Kardec

William Correia São Paulo (SP)

Em sua entrevista coletiva após a vitória por 3 a 0 sobre o ASA, que ampliou para cinco pontos a vantagem do Palmeiras na liderança na Série B do Brasileiro, Gilson Kleina destacou dois jogadores que o fizeram sorrir. O primeiro, Márcio Araújo, que sofreu pênalti e mais uma vez recebeu elogios do técnico. O segundo, Alan Kardec, que superou a perda do pênalti fazendo um gol e participando dos outros dois.

“O Alan é especial, cheira gol. É impressionante como a bola vem nele, sobra nele, é um típico artilheiro. Espero que continue com essa estrela”, disse o treinador, que, no segundo tempo, transformou o centroavante em meia e viu o artilheiro do time no torneio virar garçom.

O camisa 14 deixou Wendel em condições de dar a assistência para Wesley e colocou Serginho na cara do goleiro para fechar o placar. “O Alan tem experiência e qualidade, passou por grandes clubes e não se abateu quando perdeu o pênalti. Ele sabe que precisamos dele e que teria outras oportunidades”, continuou Kleina, que elogiou mais o goleiro do ASA do que criticou seu comandado na falha na cobrança.

A origem do pênalti, na verdade, deixou o treinador ainda mais feliz. Com seu time travado, Kleina ajustou o time abrindo ainda mais Vinicius e Leandro nas pontas, colocando Felipe Menezes colado à lateral e gerando um espaço no meio que permitiu a Márcio Araújo driblar três marcadores antes de sofrer pênalti ao passar também pelo goleiro adversário.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Arrancada de Márcio Araújo driblando três adversários e só parando ao sofrer pênalti do goleiro fez Kleina vibrar
“Sou suspeito para falar do Márcio. Ele faz um trabalho que não aparece para a torcida, de recuperação de bola, marcando os mais velozes. Isso não tem grande representatividade para quem não vê o contexto do jogo, mas, para equilibrar a parte tática, é um dos melhores na função. Tem seus defeitos, claro, senão não teria tantas cobranças, mas é um profissional exemplar”, enalteceu Kleina, lembrando que o volante também virou zagueiro para Vilson atacar.

“Os volantes do ASA marcaram individualmente o Leandro e o Vinicius. Quando abrimos e deslocamos o Felipe, abriu espaço e o Márcio soube aproveitar, sua vinda de trás com a bola fez a diferença. Ele deu início à vitória, mesmo com o Alan perdendo o pênalti”, continuou o treinador.

Mais uma vez elogiado, Márcio Araújo nem lamentou tanto por não ter feito o gol no lance do pênalti. “Infelizmente não deu para acabar em gol, acabei adiantando o último toque, a última arrancada. Mas o mais importante foi conquistar três pontos”, falou, rebatendo quem o acusou de simular a falta na área. “Não me joguei, vi que o goleiro ia se jogar e me adiantei. Foi um contato e veio o pênalti”, explicou o volante.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade