Futebol/Brasileiro Série B - ( )

Kleina deve abrir mão de dois meias para dar nova chance a Vinicius

William Correia São Paulo (SP)

A escalação com dois meias, como parte da torcida pedia, não rendeu nenhuma vitória ao Palmeiras e, após a fraca atuação de Felipe Menezes no 0 a 0 com a Chapecoense, Gilson Kleina deve deixá-la de lado enquanto não tem Valdivia à disposição. O treinador dificilmente escolherá de novo o criticado esquema com três volantes e, provavelmente, retomará a escalação com três atacantes.

A retomada do trio na frente se deve, principalmente, à recuperação de Vinicius. O atacante sofreu com dores no joelho e no tornozelo direitos no mês passado, mas se mostrou plenamente recuperado ao entrar no intervalo do 0 a 0 com a Chapecoense na terça-feira e, por isso, deve tirar a vaga de Felipe Menezes diante do Atlético-GO, neste sábado.

A formação será definida só no treino de sexta-feira, em Goiânia, mas, com a volta de Leandro de suspensão e Henrique, Valdivia e Eguren fora por estarem defendendo suas seleções e Ronny e Léo Gago, por problemas físicos, o Verdão deve atuar com: Fernando Prass; Luis Felipe, Vilson, Tiago Alves e Juninho; Márcio Araújo, Wesley e Mendieta; Vinicius, Leandro e Alan Kardec.

“Fizemos uma variável com dois meias. Tivemos poucas chances de usar Mendieta e Valdivia e optei pelo Felipe Menezes, que é articulador. Mas antes eram três atacantes”, explicou Kleina, dizendo-se ‘obrigado’ a apostar nos dois meias porque, nos últimos jogos, foi perdendo velocistas nas pontas como Vinicius, Ananias e Leandro.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Vinicius entrou no 0 a 0 com a Chapecoense e voltou a perder gols, mas mostrou condição física para ser titular
Apesar de avaliar que o Palmeiras “criou muito” nos recentes empates com Ceará e Chapecoense, o técnico, pressionado pela eliminação na Copa do Brasil e a sequência de quatro jogos sem vitória, voltará a apostar em suas convicções, abrindo dois jogadores pelas pontas, incumbindo Mendieta para armar com a ajuda de Wesley e Alan Kardec como referência.

Assim, a esperança é por um início de segundo turno de Série B do Brasileiro melhor que o final do primeiro, que não teve vitórias, mas terminou com o Palmeiras na liderança e a 11 pontos do quinto colocado, primeiro clube a aparecer fora da zona de acesso.

“Trabalhamos para fazer o resultado e ter uma atuação aceitável, como vínhamos fazendo. Vamos ver como será feito para estrear da melhor forma no segundo turno”, disse o treinador, esperançoso de voltar a buscar três pontos com a volta do trio ofensivo.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade