Futebol/Brasileiro Série B - ( )

Kleina faz apelo a adversários: menos violência contra Palmeiras

William Correia São Paulo (SP)

Com a confirmação do desfalque de Leandro por estar com o tornozelo esquerdo “muito inchado”, Gilson Kleina resolveu fazer um apelo. Após ver Valdivia com olho roxo e boca inchada, Alan Kardec com marcas na mão e ser alvo até de cusparadas e Henrique levando uma rasteira, o técnico solicita que os adversários sejam mais leais.

“Neste segundo turno, estou achando o jogo está muito excessivo, é muito violência. Nos últimos jogos, todos têm saído com hematoma”, comentou o treinador, que viu Leandro se machucar depois de dividir uma bola no carrinho na lateral na vitória sobre o Avaí, na terça-feira. Antes, o atacante chegou a ter a nuca chacoalhada pelo volante Eduardo Costa.

“Sabemos que Série B é força, contato, marcação, mas está sendo um pouquinho além desse ponto. Precisamos estar atentos porque está chegando a reta final e todos os clubes vivem momentos importantes”, completou, tentando compreender o nervosismo dos outros clubes.

Gilson Kleina faz questão de dizer que o aviso não é para quem apita os jogos, mas aos jogadores rivais. “Os árbitros não estão nem vendo porque está acontecendo fora do lance, em discussões fora de jogo, com os jogadores se expressando energicamente, se excedendo”, afirmou.

“Precisamos nos precaver porque o Palmeiras está jogando futebol, tem jogadores importantes e não quer perder nenhum com lesão mais grave, e estamos perdendo alguns por pancada”, prosseguiu o preocupado comandante do líder da competição.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Técnico faz apelo diretamente a jogadores adversários, que têm sido violentos longe dos olhos dos árbitros

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade