Futebol/Brasileiro Série B - ( )

Kleina: "Técnico escolhido para 2014 terá mais facilidade do que eu"

William Correia São Paulo (SP)

Os rumores sobre a intenção do presidente Paulo Nobre em contratar Vanderlei Luxemburgo como técnico do centenário do Palmeiras mexem com Gilson Kleina, mas não afetam a satisfação com seu trabalho. O treinador que já ouviu publicamente do diretor executivo José Carlos Brunoro que ainda não está nos planos para 2014 garante: o escolhido terá menos trabalho do que ele quando foi contratado, há um ano.

Técnico deve, mas sobe de patamar
Valdivia é legado para o centenário
Kleina abre sua sala para a GE.net

“Vai ser muito mais fácil ajustar daqui para frente do que quando pegamos o time”, disse Kleina à Gazeta Esportiva. O técnico se apresentou ao clube em 19 de setembro de 2012, não evitou o rebaixamento no Brasileiro do ano passado e montou o elenco atual sobrevivendo a traumáticas derrotas para Mirassol, por 6 a 2, e para Atlético-PR, por 3 a 0, sendo eliminado da Copa do Brasil.

O grupo atual, porém, tem sua união ressaltada frequentemente tanto por jogadores quanto pelo treinador. Essa é a característica apontada para explicar a campanha tranquila na Série B do Brasileiro, com liderança a seis pontos do segundo colocado, a 15 do primeiro clube fora da zona de acesso e com 14 pontos faltando em 15 jogos restantes para subir na conta da comissão técnica.

Por tudo isso, Kleina se recusa a ser hipócrita e admite que deseja renovar seu contrato, que se encerra em 31 de dezembro. “Claro que quero ter sequência. Mas não vou legislar em causa própria, vou trabalhar para terminar o mais rápido possível essa Série B e dar alegria ao palmeirense. Aí o futuro pertence ao homem lá de cima, que sabe muito bem o que é bom para o Palmeiras e para o Gilson Kleina.”

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
"Meu marketing é trabalho" vira a definição de Kleina sobre si diante dos rumores sobre Luxemburgo
Nobre não tinha Kleina entre seus preferidos ao assumir o clube, em janeiro, mas já garantiu publicamente que não procurou Vanderlei Luxemburgo e que só avaliará o atual técnico depois da Série B. O treinador também assegura que, nas reuniões semanais que mantém com a diretoria, não foi falado sobre sua renovação. Como ele mesmo prefere.

“Também estou muito mobilizado para o que vai acontecer. Essa renovação tem que partir de um consenso, precisam entender que esse trabalho merece uma continuidade ou tem que ser interrompido a partir de uma avaliação do que é bom”, apontou, sem medo de se comparar a Luxemburgo, bicampeão brasileiro e tetracampeão paulista em quatro passagens pelo Verdão.

“Não preciso me comparar a ninguém. A maior força e o maior marketing do que se desenvolve de um profissional é o trabalho. Está sendo colocado que o professor Vanderlei será o técnico do centenário, e falo com a maior tranquilidade: têm que ser lembrados os grandes treinadores e ele foi um dos mais vitoriosos dentro do Palmeiras. Tenho todo o respeito”, afirmou o técnico, ainda sem título no clube.

Em sua defesa, Kleina aponta que seu “marketing é trabalho”. Pensando assim, insiste em um lembrete: não se pode planejar a Série A do ano que vem sem estar classificado ainda. “Não podemos nos equivocar: não subimos, não conseguimos o acesso, não podemos deixar trocar o foco, pensar em 2014 sem ter consolidado 2013”, receitou.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Nobre ainda não falou sobre renovação e Kleina prefere assim: "Não dá para pensar em 2014 antes de subir"

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade