Futebol/Brasileiro Série B - ( )

Líder do turno, Verdão se apega à meta atingida com oscilação normal

William Correia São Paulo (SP)

Ao sair dos vestiários do Pacaembu, logo após um 0 a 0 sob vaias e xingamentos com a vice-líder Chapecoense, o diretor executivo José Carlos Brunoro abria largos sorrisos. Dizia que o Palmeiras cumpriu a meta traçada: terminar a Série B do Brasileiro na liderança. E foi esse o discurso adotado por Gilson Kleina e seus comandados, considerando os três jogos sem vencer no torneio como uma “oscilação normal”.

“São 38 jogos, é um campeonato muito longo. Na Série A, os clubes também têm quebra de rendimento, isso é normal. Claro que o Palmeiras é mais cobrado na Série B e vai ser sempre mais cobrado, temos que nos acostumar com isso, mas são oscilações normais e vamos trabalhar para fazer com que essa curva volte logo a ser ascendente”, simplificou Fernando Prass.

Durante todo o turno, a equipe lembrava nas entrevistas que o primeiro olhar na tabela era para o quinto colocado, o primeiro fora da zona de acesso. Após a primeira metade do torneio, quem ocupa a posição é o Joinville, que somou 31 pontos, contra 42 do Verdão. Mais um fator para comemoração palmeirense na opinião do elenco.

“Estar a 11 pontos do quinto colocado é uma diferença muito grande, 11 pontos em 19 jogos é uma vantagem boa. Mas cobrança vai ser sempre grande. Tranquilidade só teremos quando acabar o campeonato, quando formos campeões e estivermos de volta à Série A”, conformou-se Prass, mais realista do que seu técnico e seus colegas.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Palmeiras terminou o turno com um 0 a 0 em casa sob vaias, mas atingiu o objetivo de ser líder da Série B
“Terminar com 42 pontos é significante. Temos que valorizar o grupo, que entendeu que a Série B é força e pegada, mas prevalecendo o talento do Palmeiras”, aplaudiu Kleina, já concordando com a busca de mais 20 pontos para garantir o acesso.

“Somamos poucos pontos na reta final, mas fizemos uma boa pontuação. Agora vamos buscar repetir isso para nos mantermos na frente. Precisamos trabalhar ponto a ponto para chegar, a cada jogo, e o segundo turno é mais difícil porque cada um tem seu objetivo”, indicou.

O clube ainda tem como argumento um desempenho histórico. “Foi uma das melhores campanhas em primeiro turno da Série B na história, só fica atrás do Vitória, que fez 44 pontos no ano passado. O importante é continuar trabalhando e tentar manter esse aproveitamento que é tão bom que estamos na liderança”, citou Prass. “Estamos no caminho certo, conseguimos o nosso primeiro objetivo. Agora é dar continuidade para ter um final de ano feliz”, completou Wesley.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade